domingo, 31 de dezembro de 2017

Balanço literário 2017

Segue mais um recordatório das linhas leituras anuais:

1 Ford Robert Lacey
2 O último turno Stephen King
3 Spectacle in the White City Stanley Appelbaum
4 Essa tal de bossa nova Bruna Fonte e Roberto Menescal
5 Pegando fogo Richard Wrangham
6 O homem de São Petersburgo Ken Follet
7 A máquina do tempo H. G. Wells
8 A coisa Stephen King
9 Hereges Leonardo Padura Fuentes
10 Eiffel's tower Jill Jonnes
11 Nova York Will Eisner
12 Quadrinhos e arte sequencial Will Eisner
13 Narrativas gráficas Will Eisner
14 A arte de quadrinizar Ivan Brunetti
15 A era dos festivais Zuza Homem de Mello
16 Outlander 1: a viajante do tempo Diana Gabaldon
17 Maus Art Spiegelman
18 Elis: uma biografia musical Arthur de faria
19 Colombo - as quatro viagens Laurence Bergreen
20 Vida, em quadrinhos Will Eisner
21 O cavaleiro das trevas Miller, Janson  e Varley
22 Desenhando quadrinhos Scott McCloud
23 Garota exemplar Gillian Flynn
24 What it is Lynda Barry
25 Outlander 2: A libélula no tempo Diana Gabaldon
26 Desvendando quadrinhos Scott McCloud
27 Sunday sketching Christoph Niemann
28 O hobbit J.R.R.Tolkien
29 A casa do lago Thmas Harding
30 Drawing on the right side of the brain Betty Edwards
31 O apanhador no campo de centeio J. D. Salinger
32 Outlander 3: O resgate no mar - volume 1 Diana Gabaldon
33 Outlander 3: O resgate no mar - volume 2 Diana Gabaldon
34 Descobrindo São Paulo com Brecheret Renata Sant'anna
35 O escultor Scott McCloud
36 Valerian Christin - Mézières
37 Crônicas volume um Bob Dylan
38 Homo Deus Yuval Noah Harari
39 Maurício - a história que não está no gibi Maurício de Sousa
40 Watchmen Alan Moore e Dave Gibbons
41 Histórias cretinas José de Carvalho
42 Diomedes Lourenço Mutarelli
43 Os Tambores de Outono - volume 1 Diana Gabaldon
44 Memorial de Aires Machado de Assis
45 Cartooning - the ultimate character design book Chris Hart
46 Modern cartooning Chris Hart
47 Crônicas Saxônicas - O portador do fogo Bernard Cornwell
48 Retalhos Craig Thompson
49 Persépolis Marjane Satrapi
50 Os Tambores de Outono - volume 2 Diana Gabaldon
51 Couro de gato Carlos Patati e João Sánchez
52 O voo da vespa Ken Follett
53 O labirinto dos espíritos Carlos Ruiz Zafón
54 Aquarela para urban sketchers Felix Scheinberger
55 Primeiro mataram meu pai Loung Ung
56 O homem invisível H. G. Wells
57 As espiãs do Dia D Ken Follett
58 Luz e sombra Leandro Fernandéz
59 Na minha pele Lázaro Ramos
60 Meio sol amarelo Chimamanda Ngozi Adichie
61 A reinvenção dos quadrinhos Álvaro de Moya
62 Leonardo da Vinci Walter Isaacson
63 Framed ink Marcos Mateu-Mestre
64 A primeira viagem ao redor do mundo Antônio Pigafetta
65 Confesso que perdi Juca Kfouri
66 Origem Dan Brown
67 Coluna de fogo Ken Follet
68 O uso das cores Cris Peter

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Os melhores cartuns (americanos) de 1957

Esses cartoons estão em um livro garimpado pela minha filha num espaço troca-livros nos EUA. Como eles são relativos ao ano em que nasci, ela me trouxe de presente. Alguns são bem datados e nem todos primam pela correção política. Segue uma seleção dos melhores.



"Bem, agora vamos continuar de onde paramos na aula da semana passada."


"O serviço aqui é devagar, mas a comida é tão ruim que você não se importa de esperar!"


Presente de aniversário

"Não faça isso!"


"Whipple! Você trocou os sinais de novo!"


"É uma questão simples de contabilidade, George. Tudo o que eu quero é dinheiro suficiente para gastar."




"Se há uma coisa que eu não tolero é um 'yes man', principalmente quando eu digo 'não'!"


"Você disse que podia acabar com esse cara até de olhos fechados. Agora é a sua chance!"


"Aí está, querida. Café na cama!"


"Por que você não admite que esqueceu o macaco?"


"Daqui a alguns anos, você não vai achar isso uma bobagem. Depois de mais alguns anos, vai voltar a achar."


"Elvis Presley! A que devemos essa honra?"
(essa é bem datada, Elvis ainda não havia morrido - espera, será que morreu mesmo?)


"É pra você."


"Eu não quero me envolver emocionalmente. Eu só quero cheirar bem."


"Você conhece um bom encanador?"


"Você tem dupla personalidade - e nenhuma das duas vale nada."


"Whoops!"


Difícil não gostar dessa...

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Master Chef

Almocei um dia desses em casa com os meus dois filhos, coisa raríssima. O almoço foi feito por eles: salsicha, purê e arroz, mostrando que eu ensinei tudo o que sabia sobre cozinha a eles. Fico orgulhoso com o legado transmitido.

P.S. 1) Sim, salsicha, purê e arroz é tudo o que eu sei fazer na cozinha.
P.S. 2) O repertório deles é bem mais variado que esse, estávamos apenas tentando manter a tradição familiar.
P.S. 3) Também sei fazer ovo quente, cozido e frito.
P.S. 4) Aliás, esse menu já foi alvo de uma antiga tirinha:


sábado, 16 de dezembro de 2017

Feliz Aniversário, Beethoven!

Há controvérsias quanto à data exata de nascimento desse grande mestre da música. Os sites de pesquisa são mais ou menos unânimes com relação ao mês de dezembro de 1770, em Viena. De certo mesmo só o seu batizado, no dia 17 do mesmo mês.

Que Google que nada, minhas dúvidas sobre Ludwig von Beethoven eu esclareço com o Schroeder.









Bem, eu fiz a minha parte na divulgação, Schroeder!

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Chega dezembro


segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Propagandas antigas

Algumas dessas propagandas são impensáveis hoje:















sábado, 25 de novembro de 2017

Pintinho

Esse é o livrinho infantil do Pintinho Nico. Tem um fantoche que aparece quando se coloca o dedo por trás (do livro). O formato final do pintinho é muito, muito estranho...



Mais um triste caso de incitação à pornografia infantil...
(mode ironia on)

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Vida de aposentado 2


domingo, 12 de novembro de 2017

T.O.C.


Não sei se sofro do tal de Transtorno Obsessivo Compulsivo, o chamado TOC, pois esse termo está muito banalizado, mas algumas coisas fora de lugar realmente me incomodam.

Como, por exemplo, essa reforma que meu vizinho de trás da rua está fazendo. Os pintores deixaram um pedaço de aproximadamente um metro de beiral sem pintar. Por que? Por que? Por que?




Durante uns três ou quatro dias o beiral ficou assim. Fiz até um post no Facebook falando sobre isso e descobri abismado a quantidade de amigos que padecem do mesmo incômodo. A maior parte pedia para avisar o vizinho (*).

Nem o conheço pessoalmente, só sei que ele dá festas barulhentas até altas horas da madrugada de vez em quando. Por isso, pensei em deixar como estava, mas na verdade o maior incomodado seria eu mesmo.

Pois bem, resolvi que ia falar com o cara (quem sabe ele, agradecido, me convidasse para as suas próximas festas). Eis que, antes que eu pudesse tomar uma providência, o pintor retornou para dar uma segunda demão no beiral e corrigiu o problema.



Problema resolvido, posso voltar aos meus afazeres. 

Ou não. Será que devo avisá-lo de que o telhadista deixou uns pedaços de telha quebrada sobre o telhado?



(*) Uma amiga me mandou procurar um médico.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Um ano depois

Pois é, um ano se passou desde que resolvi pendurar as chuteiras. Até aqui tenho cumprido os objetivos estabelecidos quando tomei essa resolução (leia aqui e aquie não me arrependo nadinha dela.

Só para registro, com relação ao cuidado com a saúde, informo que perdi nesse período 8,6 kg, ou seja, mais de meia arroba. Era para ter sido mais. Depois de um início muito promissor, deu uma estabilizada nos últimos meses. 




Para melhorar isso, preciso fechar mais a boca, pois as atividades físicas vão bem, obrigado. Caminhei 1.329,4 km (sim, eu anoto), o que dá uma média de 5 km por dia, cinco vezes por semana.

Acordo na hora que me dá na telha (nunca é muito tarde, pois meu sono é leve e os barulhos matinais são pesados) e me levanto bem depois, após espreguiçar bastante. Isso também é muito bom pra saúde.

Em tempo, estou adorando meu curso de desenho.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Selfie à moda antiga


O resultado, claro, saiu em preto e branco, meio pro sépia...


segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Anúncios de roupa

Desenhos feitos a bico de pena como parte de uma propaganda de roupas em A Estação, revista ilustrada carioca, de 1891. Clique na figura para ver em tamanho maior.





Related Posts with Thumbnails