terça-feira, 23 de maio de 2017

Primeiras tirinhas

Dos arquivos da minha mãe, minhas primeiras tirinhas:





sexta-feira, 12 de maio de 2017

Amigos e inimigos imaginários

A passagem da fase criança para a adolescência mais ou menos coincide com a substituição dos nossos amigos imaginários pelos inimigos imaginários.

Montes deles. São tantos, que passamos o resto da nossa vida adulta combatendo-os.

Ao longo dos meus quase 60 anos, dei cabo de vários deles. Isso me deixa muito leve e feliz, mas a luta continua.

A propósito, antes mesmo de completar os 60, usufruí esta semana, pela primeira vez, o direito de ser um sexagenário: tomei a vacina da gripe "de grátis".

terça-feira, 25 de abril de 2017

First Lady of Song

Ella Fitzgerald completaria hoje, 25/04/2017, 100 anos. Completaria não, completa. Ella é imortal.



segunda-feira, 24 de abril de 2017

2 Irmão


São 2 irmão salgados ou 2 irmão analfabetos? Na dúvida, passei longe.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

A voz do dono e o dono da voz


quinta-feira, 13 de abril de 2017

Como um deputado

Fui comprar um purificador de água para minha casa. Custava R$ 799. Perguntei se haveria algum desconto para pagamento a vista e o vendedor me disse que não, mas me daria 5% se eu pagasse em dinheiro em vez do cartão.

O desconto correspondente ao valor de uma pizza me fez ir até o caixa eletrônico para sacar o dinheiro. Cheguei na loja com o bolinho de notas e efetuei o pagamento. 

Me senti como um deputado ou senador, desses corruptos, que faz suas compras em dinheiro vivo. Estranha sensação essa.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Lista do Fachin

Pergunta a você, que está entre os oito ministros, 24 senadores, 39 deputados e três governadores da lista do Fachin:

"Quem vai pedir afastamento do cargo até a conclusão do inquérito põe o dedo aqui!"

terça-feira, 11 de abril de 2017

Protesto de Úberes


Um infame protesto!

sábado, 8 de abril de 2017

Rato

Um comovente e impressionante relato de um sobrevivente polonês do campo de concentração de Auschwitz. 

Art Spiegelman, um quadrinista americano, reproduz a história vivida por seus pais durante a II Guerra Mundial, desde a invasão alemã até a libertação final, passando por inúmeros episódios de fuga e sua improvável sobrevivência. A história é contada pelo pai dele e, paralelamente às histórias da guerra propriamente ditas, trata também da difícil relação entre o autor e seu pai.

“Maus”, em alemão, significa “rato”, que era o tratamento que os alemães dispensavam aos judeus. A partir daí, o autor desenha seus personagens caracterizados de animais: os judeus são mostrados com rostos de ratos, os alemães como gatos e assim por diante.

Recomendo. Para ler e reler.






quarta-feira, 1 de março de 2017

A minha terra dá mixirica







































Essa inusitada cena da galera colhendo mixirica em plena rua me lembrou aquela velha música de Noel:

A minha terra dá banana e aipim,
Meu trabalho é achar
Quem descasque por mim.
Vivo triste mesmo assim...

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Parabéns, Jazz! 100 anos de gravações!

Hoje, 26/02/2017, é um dia muito importante para os apreciadores da música de Jazz. Há exatos 100 anos foi realizada a primeira gravação desse gênero.



Até hoje ninguém conseguiu definir exatamente em que ano o Jazz começou ou mesmo quando associaram a palavra jazz a um tipo "específico" de música, provavelmente nem é possível isso, visto ser a música de Jazz o produto da evolução e transformação de várias outras vertentes no final do século XIX - vide abaixo:


Apesar da música de Jazz ter um pezinho na Europa, é lícito dizer que a sua maior influência vem da música afro-americana (blues, cantigas de trabalho, gospel etc.).

Originária da região de New Orleans, migrou rapidamente para New York e Chicago no início do século XX, principalmente por causa das más condições para os músicos negros (e não só os músicos) no sul do país e, é claro, pelas grandes oportunidades que as cidades grandes oferecem com sua fome de novidades.

Paradoxalmente, no entanto, sua primeira gravação não seria registrada por músicos negros, e sim pela Original Dixieland Jazz Band (grafada no rótulo do disco como "Jass"), toda composta por músicos brancos.


Note que a música foi rotulada como um Fox Trot, na falta de classificação melhor à época. 

Ouçamos as gravações:

Lado A: "Livery Stable Blues"


Lado B: "Dixie Jazz Band One Step"



O álbum, gravado pela Victor Talking Machine Co., foi um tremendo sucesso, tendo vendido cerca de 1.000.000 de cópias, um número bastante expressivo nos dias de hoje, imagina há 100 anos! Colocou o Jazz no mapa da música norte-americana.

E para comemorar em alto nível, um "Parabéns a Você" em ritmo de Jazz!








segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Aproveitando o terreno

- Eu quero fazer um campo de futebol, mas queria aproveitar o máximo possível do terreno, pode ser?
- Claro, doutor, deixa comigo!



domingo, 5 de fevereiro de 2017

Tadinho do carneiro...



Como se já não fosse ruim o bastante ser capado, fizeram-lhe uma lipoaspiração...

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Pinto

O Pinto foi um carro pequeno lançado no mercado americano na década de 60, que, por motivos óbvios, nunca chegou ao Brasil. Ainda mais se viesse acompanhado pela propaganda abaixo...




segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Homenagem

Eu queria muito saber que m... fizeram esses caras para serem "homenageados" com seus nomes em penitenciárias... ou, o que passa pela cabeça dos legisladores para fazer uma "homenagem" assim?


sábado, 14 de janeiro de 2017

Tirando a barba...

... aos poucos


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Torneira anti-social... xi, escapou!


quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Arquitetura mista...

Mistura de Gaudi com Picasso


segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Tabuleiro

Acho simpática a ideia de colocar tabuleiros em praças públicas. Não obstante (sempre quis usar essa palavra), fica aqui minha humilde sugestão para melhorar esse equipamento comunitário: alinhar o tabuleiro com os banquinhos. Pode ajudar a prevenir dor nas costas.













terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Balanço Literário 2016

Como tenho feito nos últimos anos, segue a lista livros que li em 2016. Resenhas e indicações somente sob consulta.

1 Geraldo Vandré - Uma canção interrompida Vitor Nuzzi
2 A família Lessa no mundo José Luiz Lessa
3 A noite do meu bem Ruy Castro
4 D. Pedro: A história não contada Paulo Rezzutti
5 Getúlio: 1882-1930 Lira Neto
6 Oswald de Andrade Maria Augusta Fonseca
7 Getúlio: 1930-1945 Lira Neto
8 Teoria musical para leigos Michael Pilhofer e Holly Day
9 Getúlio: 1945-1954 Lira Neto
10 2001: uma odisseia no espaço Athur C. Clarke
11 A garota na teia de aranha Devid Lagercrantz
12 Eis aqui os Bossa-Nova Zuza Homem de Mello
13 Esaú e Jacó Machado de Assis
14 Como ouvir e entender música Aaron Copland
15 Guerra e Paz Leon Tolstói
16 1993 Zetti e André Plihal
17 Crise Mike O'Connor
18 A bibliotecária de Auschwitz Antônio G. Iturbe
19 Villa Kyrial Marcia Camargos
20 Red Dragon Thomas Harrid
21 O caminho do Anhanguera Nestour Goulart Reis
22 São Bernardo do Campo - berço do Brasil moderno Fernando Longo
23 Engenheiros da Vitória Paul Kennedy
24 Idênticos Scott Turow
25 O cirurgião Tess Gerritsen
26 As línguas do mundo Charles Berlitz
27 A amiga genial Elena Ferrante
28 O demônio na cidade branca Erik Larson
29 Wild Cards - vol. 1 George Martin
30 As irmãs Romanov Helen Rappaport
31 Crônicas Saxônicas: Guerreiros da Tempestade Bernard Cornwell
32 Eu sou o peregrino Terry Hayes
33 Dolores Duran Rodrigo Faour
34 Filosofia para corajosos Luiz Felipe Pondé
35 Guia politicamente incorreto do sexo Luiz Felipe Pondé
36 O último judeu Noha Gordon
37 Terra sonâmbula Mia Couto
38 O Negociador Frederick Forsyth
39 Nara Leão, uma biografia Sérgio Cabral
40 Mr. Mercedes Stephen King
41 O monge inglês Valeria Montaldi
42 1494 Stephen R. Bown
43 Tempos vividos, sonhados e perdidos Tostão
44 Toda luz que não podemos ver Anthony Doerr
45 O punho de Deus Frederick Forsyth
46 The buffer's guide to wine Jonathan Goodall e Herry Eyres
47 Uma autobiografia Rita Lee
48 Achados e perdidos Stephen King
49 The perfect mile Neal Bascomb
50 Ragtime E.L. Doctorow
51 Terra Papagalli José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta
52 A viagem da família real Kenneth Light
53 Número Zero Umberto Eco

Curiosidade, dos 53 livros acima, 35 foram lidos no formato digital.

domingo, 1 de janeiro de 2017

Injustiça

Acho uma injustiça a forma como é desconsiderada essa numerosa categoria de figuras públicas: os puxa-sacos.

Em pleno primeiro de janeiro, um domingo, lá estão eles de plantão! E você aí, descansando...
Related Posts with Thumbnails