quarta-feira, 25 de março de 2015

Aperturas

Outro dia desses, tive que ir a São Paulo com a minha esposa logo pela manhã. Pura necessidade. Só faço isso quando não há alternativa ou se estiver em um momento de insanidade temporária. Tive que atravessar Diadema num trânsito infernal. Aliás, trânsito é maneira de dizer, pouco se transitava ali.

Conversa vai, conversa vem, após uma hora e meia dentro do carro, começou a dar vontadade em ambos de urinar fazer xixi. Como os assuntos interessantes já haviam acabado lá pela primeira hora do percurso, o aperto duplo começou a virar o assunto e, com isso, alimentou ainda mais a nossa vontade.

Procuramos algum lugar decente aberto para que pudéssemos dar uma paradinha, mas nada, nenhum lugar aberto e muito menos decente à vista. Fomos seguindo, nessa altuira já com os braços arrepiados, tentando pensar e conversar sobre outra coisa, mas não dava.

Passou um posto de gasolina, mas… não, é melhor fazer nas calças.

- Tenho certeza que tem um supermercado logo à frente, vamos até lá, está chegando – falei.

Passados mais dez minutos, lá estava ele! Uma maravilhoso Pão de Açúcar aberto! Estacionei o carro de jeito que deu, descemos e começamos a subir a escada. Na nossa frente, um casal idoso subia pé ante pé. Pé ante pé. Pé ante pé. Não havia como passar por eles, a menos que os derrubássemos escada abaixo. Cheguei a cogitar isso, mas achei que o movimento poderia botar todo o esforço feito até ali a perder.

Chegando ao hall, não identificamos logo de cara as cobiçadas instalaçães sanitárias. Vi um funcionário do supermercado e pedi a informação.

- Fica lá embaixo.

2 comentários:

Emmanuella Conte disse...

Hahahahahaha, TUDO o que pode acontecer nessas situações, acontece!

Edison Junior disse...

Sim, é a Lei de Murphy aplicada à micção.

Related Posts with Thumbnails