segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Náufrago

Edison - 0544 - Náufrago falando sozinho

domingo, 28 de dezembro de 2014

Gastar ou guardar?

Max Geringer - Viver ou juntar dinheiro

Provavelmente, como quase tudo na vida, um pouco de cada.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Papai Noel tarado

Edison - 0541 - Papai Noel de loja tarado

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

O varão

Edison - 0540 - Metendo o varão

Roteiro adaptado de uma situação real contada pelo amigo Hans.

Nota: a amiga dele era da Moóca…

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Fim de feira

Conversa de fim de feira entre dois garis, enquanto eu esperava o meu pastel:

- ... e a mulher dele, é bonita?

- Bom... pra ele é!

- Quá-quá-quá-quá-quá!

Edison - 0539 - Pastel

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Abdominais

Edison - 0538 - Pilates Abdominais

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Homenagem a um sobrinho

Edison - 0415 - Advogado recém-formado

sábado, 6 de dezembro de 2014

Meu segundo carro é um Opala

AA - Placa - Equipe Opala

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Prrrrrr

Edison - 0537 - O Tietê peidou

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

domingo, 30 de novembro de 2014

Black Friday (Friday?)

Aproveite! Ainda dá tempo!

AA - Placa - Black Friday

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Velhinho prafrentex

Outro dia, ao sair do dentista, entrei no elevador junto com outras pessoas e comecei a mexer no celular. Coloquei os fones de ouvido e estava procurando uma música, quando o elevador parou em outro andar e entrou uma mocinha. Ela parou, olhou pro meu celular, fitou-me de alto a baixo e falou:

- Que moderno, hein!

Estou até agora pensando no que ela quis dizer com isso...

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Dia de ação de graça

Edison - 0535 - Ação de graça

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Meu Kindle –1ª parte

Kindle

Sou o que se pode chamar de um leitor voraz. Talvez nem tanto quanto gostaria, mas aproveito cada oportunidade que tenho para ler e leio, de fato, não no sentido figurado, até bula de remédio e rótulo de alimento, se não houver nada mais interessante à mão. Quando eu era moleque, cheguei a entrar no chuveiro distraidamente lendo um gibi. O gibi foi pro brejo.

Sou também usuário de computadores pessoais há muito tempo, desde os primeiros dinossauros e, apesar da minha declaração no primeiro parágrafo, nunca me senti confortável lendo grandes textos na tela. Não tenho certeza, mas a multifuncionalidade do computador dispersa a atenção que um bom texto longo merece.

Por isso, recebi com desconfiança o lançamento dos primeiros leitores eletrônicos, que, na verdade, são computadores de mão que realizam a tarefa específica de servir de meio de leitura. Bibliófilos fanáticos execram até hoje esse equipamento, com inúmeros argumentos: sentem falta de segurar um livro na mão, virar as páginas, sentir o cheiro etc.

Confesso que me deixei levar por essa lógica, mas sempre com um pé atrás, de quem sabe que um dia vai acabar se rendendo. De fato, no início desse ano, tive contato com o Kindle de um sobrinho meu e fiquei realmente atiçado pela maquininha.

Como era de se esperar, acabei comprando um Kindle Paperwhite. Ele mede, com capinha e tudo, 17 x 12 cm, e tem 1 cm de espessura. O tamanho de um livro de bolso chatinho. Na espessura, digo. Esse modelo tem iluminação própria, o que me permite ler em qualquer ambiente. Primeiro ponto positivo: posso ler na cama com a luz do abajur apagada e não incomodo minha digníssima companheira.

Kindle_Paperwhite_35438287_35437744_35438313_35438312_02_620x4331

De quebra, já saco o segundo ponto positivo: já experimentaram ler um livro de 1000 páginas deitado na cama? Com o Kindle não tem esse problema. Aliás, nem com o Kindle, nem com seus similares, pois há outros leitores de e-books (ou livros em formatos eletrônicos). Ainda não tive oportunidade de conhecer pessoalmente os demais, mas pelo que tenho lido, as características são mais ou menos as mesmas. Então, sigamos descrevento o Kindle.

Outro dia eu continuo, pois esse texto já está ficando muito longo.

A segunda parte está aqui.

domingo, 23 de novembro de 2014

Piadinha que minha avó me contou 2

Edison - 0534 - Pirarucu

Acreditem se quiserem, essa também era do repertório na minha saudosa avó..

sábado, 22 de novembro de 2014

Piadinha que minha avó me contou 1

Edison - 0533 - Da boca não!

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Meia noite em Paris

Abertura do filme Meia Noite em Paris, do diretor Woody Allen, com o tema musical "Si tu vois na mère", de Sidney Bechet, músico de jazz americano que morou muitos anos em Paris. Imperdível.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Pleonasmo agudo

Edison - 0532 - Pleonasmo

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

O padeiro deve odiar essa

Edison - 0531 - Acabou de sair

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Dica para o Verão

Edison - 0530 - Dormir pelado na varanda

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Coisas que acontecem comigo…

Ao fazer a barba outro dia desses, precisei estrear um creme novo que havia comprado na semana passada. Nívea para peles sensíveis (ó que chique!)

Chacoalhei o tubo e apertei na mão. Tchhhh... só saiu gás... Apertei de novo... Tchhhh... nada.

Putz, pensei, a p… da válvula está com defeito. Resolvi segurar o botão apertado por um tempo até que a espuma resolvesse sair. Tchhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh... gás de novo. E começou a congelar a minha mão.

Já ia partir pra ignorância e apertar até acabar o gás do tubo ou a camada de ozônio do planeta, quando percebi que ao invés de espuma de barba eu havia comprado por engano um desodorante.

O banheiro ficou muito cheiroso.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Salão do Automóvel

Edison - 0529 - Salão do Automóvel

sábado, 1 de novembro de 2014

Pensamentos desconexos, contraditórios e levemente confusos XIV

Last but not least…

Edison - 0528 - Pensamentos 14

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Como se gravava um disco

 

Edison - 0010 Tiozinho

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Pensamentos desconexos, contraditórios e levemente confusos XIII

Edison - 0527 - Pensamentos 13

Ou, que me importa que a mula manque, o que eu quero é rosetá-la.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

domingo, 26 de outubro de 2014

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

terça-feira, 21 de outubro de 2014

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Complexidade 2: os xampus

Uma vez descrevi a minha dificuldade na hora de comprar absorventes devido a enorme complexidade de opções existentes (clique aqui para ler). Claro, existem inúmeros outros produtos que oferecem uma gama enorme de opções, como carros, computadores, etc., mas o que me chamou a atenção no caso dos absorventes é que essas opções se originam de parâmetros relativamente simples, muitos dos quais totalmente inúteis. Puro marketing.

Recentemente percebi que essa mesma complexidade atinge também os xampus. O xampu que eu usava há diversos anos – por preguiça de experimentar, sou fiel às marcas que uso – sumiu das prateleiras, não o acho mais em lugar nenhum, daí que tive que procurar um substituto. Tarefa simples, é só escolher entre xampus para cabelos secos, oleosos e normais e pegar esse último que não tem erro.

O leitor vai pensar que eu sou meio rústico, talvez seja um pouco mesmo, mas se não sou exatamente um metrossexual, também não chego ao ponto de lavar a cabeça com sabão de coco. Mas voltemos à prateleira do mercado.

Depois de percorrê-las com os olhos uma, duas, três vezes, e não achar nenhum do jeito que eu queria, pensei “não é possível que não haja um xampu para cabelos normais!”. Resolvi então aplicar um método mais científico e anotar todos os tipos disponíveis. Vejamos, achei xampus para as seguintes necessidades, pela ordem em que anotei:

- Muito cacheados a crespos
- Fragilizados
- Antiqueda
- Danificados
- Lisos com escova
- Liso perfeito e sedoso
- Cachos comportados e definidos
- S.O.S. crescimento
- Fortificado
- Liso absoluto
- Blindagem contra danos
- Cacheado
- Cor duradoura
- Crespos, relaxados ou alisados
- Liso extremo total

Alguém pode me explicar como se faz para saber se o cabelo é só cacheado, cacheado comportado ou muito cacheado? O que é mais poderoso: o xampu fortificado ou o blindado? Qual o parâmetro que define se o cabelo é liso, liso perfeito ou liso absoluto? Por que não existe um xampu simplesmente para lavar cabelos? Oh, dúvidas cruéis!

O mais próximo do que eu queria foi um para “Normais a oleosos”. Não imagino que dano isso poderá causar às minhas grisalhas madeixas. Ceticamente, desconfio que não fará diferença nenhuma, mas não quero contestar toda essa gente que estuda química. E marketing.

sábado, 18 de outubro de 2014

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Segredos femininos

Edison - 0524 - Segredos femininos

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Política no Facebook

Edison - 0523 - Eleição x Ambev

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Pensamentos desconexos, contraditórios e levemente confusos VII

Edison - 0519 - Pensamentos 7

Em tempo, quem cunhou essa expressão provavelmente era um nobre que não trabalhava. A propósito, li recentemente que os grandes latifundiários nordestinos deixavam as unhas crescerem além do normal só para mostrar a todos que não precisava fazer trabalhos manuais. Se eles soubessem que a moda seria seguida pelos cobradores de ônibus e suas longas unhas nos dedos mínimos…

Finalmente, para que não me entendam mal, vejam o vídeo abaixo sobre a D. Cadú, uma senhora trabalhadora de mais de 90 anos, pra lá de nobre e digna.

Bonita história e linda lição, mas eu tenho certeza de que ela já era digna e nobre antes de começar a trabalhar. Isso é do caráter dela, não veio do trabalho propriamente dito. O trabalho foi o produto da dignidade e nobreza dela, não o contrário.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

sábado, 11 de outubro de 2014

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

MAC - Transarquiteônica

Não, isso não é o nome de um sanduíche do MacDonalds. Trata-se da obra do artista Henrique Oliveira, no MAC – Museu de arte Contemporânea da USP, no Parque do Ibirapuera, que visitei ontem por indicação da minha filha aproveitando parte das minhas férias.

2014-10-09 - MAC - Transarquitetônica 08

A Transarquitetônica é uma imensa instalação feita no anexo do MAC, que você pode entrar e atravessar por ela. Não quero estragar o efeito da obra em quem ainda vai visitar, mas recomendo entrar no prédio pelo térreo e não olhar a instalação por cima antes de a conhecer por dentro. Comece pelo lado da raíz, esse mostrado na foto acima – que deixei bem pequeninhinha de propósito.

Aqui uma foto interna, só para se ter uma ideia.

2014-10-09 - MAC - Transarquitetônica 032014-10-09 - MAC - Transarquitetônica 02

Além disso, o museu tem obras fantásticas e merece uma visita regular.

Outra coisa que por si só já valeria a pena é a vista 360° da Cidade de São Paulo que temos da cobertura do prédio, cujo arquiteto é só o Oscar Niemeyer.

2014-10-09 - MAC Cobertura 012014-10-09 - MAC Vista 102014-10-09 - MAC Vista 032014-10-09 - MAC Vista 052014-10-09 - MAC Vista 07

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

terça-feira, 7 de outubro de 2014

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

sábado, 4 de outubro de 2014

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Aeroboingflot 2016

Para quem não se impressionou muito com o Aeroboingflot 2015 – vide tirinha abaixo - vem aí o modelo 2016, ultrarrevolucionário, totalmente computadorizado, não requer nem tripulação!

Edison - 0511 - Aeroboingflot 2016

sábado, 27 de setembro de 2014

Aeroboingflot 2015

Edison - 0510 - Aeroboingflot

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Related Posts with Thumbnails