quinta-feira, 27 de junho de 2013

Bicho besta

Edison - 371 - Bicho besta

terça-feira, 25 de junho de 2013

Atchim!

Edison - 370 - Espirro cívico

Tem horas em que me lembro do tempo dos Fiscais do Sarney…

domingo, 23 de junho de 2013

Uma novela com reviravoltas

Um pessoal ligado à “Esquerda” começou um movimento contra o aumento dos preços das passagens de ônibus. Na cidade de São Paulo a situação era particularmente curiosa. O prefeito que aumentou a passagem é da “Esquerda” (apoiado por vários partidos da “Direita”). A polícia que reprimiu os mais exaltados responde a um governador cujo partido tem a simpatia da “Direita” (apoiado por vários partidos da “Esquerda”.)

A multidão aos poucos foi ganhando as ruas e, como nem todos eram afetados pelo valor da passagem, o movimento cívico foi ganhando outros temas (combate à corrupção, melhorias na saúde, transporte, educação e segurança.) Motivos para queixas não faltam. A manifestação ganhou várias cidades em todo o país, tanto as governadas por prefeitos da “Esquerda” quanto de “Direita”.

As manifestações são agendadas pelas redes sociais em clima de micareta. A galera vai ficando cada vez maior. Momentos bonitos são registrados. Os pais levam os filhos pequenos para o exercício da cidadania. Como nem tudo é perfeito, aqui e ali cenas lamentáveis de vandalismo acontecem, mais ou menos reprimidas pela polícia. Como sempre ocorre nesses casos, há excessos de lado a lado.

No início, o pessoal da “Direita” criticava as manifestações dizendo que não havia um tema definido e que não levaria a nada, mas a multidão continuou aumentando. Então, a “Direita” viu uma oportunidade de tirar uma casquinha e começou a sugerir novos temas (impeachment, ditadura e outros.) Muitos dos que pedem isso não fazem nem ideia de como foi o tempo da ditadura por aqui.

Nessa altura, o pessoal da “Esquerda” começou a perceber que a coisa estava começando a ficar perigosa pro seu lado, afinal o governo federal é um aliado, e atualmente dissemina a versão de que tudo não passa de uma conspiração da “Direita”. Pessoalmente acho meio paranoico isso, não creio que a “Direita” seja tão articulada assim. Enfim, tudo é possível.

Tá tudo muito estranho. Que novas reviravoltas sofrerá essa novela em que cada um escreve seu roteiro? Cadê as cenas dos próximos capítulos?

Nota: usei os termos “Esquerda” e “Direita” entre aspas por um motivo muito simples: acho que só aqui no Brasil ainda se perde tempo com essa dicotomia.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Sinergia às avessas

Sinergia pode ser definida como uma soma em que 1 mais 1 é maior do que 2.

Ou, em outras palavras, quando duas pessoas se reúnem para fazer uma determinada ação, a cooperação entre elas pode ser tão enriquecedora que a soma dos seus esforços/ideias é maior do que a simples soma das duas ações realizadas isoladamente. Em condições adequadas de temperatura, pressão, boa vontade, cabeça aberta e empatia, quanto mais gente disposta a cooperar, maior será esse ganho.

Então quer dizer que se reunirmos 1 milhão de pessoas teremos uma inteligência monumental? Não, infelizmente o efeito da sinergia não é linear. Pegue uma torcida de futebol reunida em um estádio. As ações de que elas são capazes provavelmente jamais ocorreriam caso qualquer desses torcedores estivesse sozinho. Basta o primeiro fazer merda para que o restante o siga.

Preocupado com isso, o Instituto Sênior de Pesquisa Junior – sem qualquer base científica é preciso ressaltar – procurou colocar num gráfico como se comporta a inteligência de um grupo de pessoas interagindo. Na falta de um índice melhor para avaliar isso, utilizamos o velho Quociente de Inteligência, o popular QI. Partiu-se do princípio de que o QI de todo mundo é igual e, a medida que vamos juntando pessoas, aplicamos o Fator Multiplicador de QI para estabelecer a inteligência média das pessoas do grupo.

Nessas condições, o QI de uma pessoa qualquer do grupo quando sozinha deve ser multiplicado por 1. Para duas pessoas, pelo gráfico abaixo, o QI das duas juntas em vez de ser o dobro será igual a, digamos, 2,2 QI e assim por diante.

image

Graças à sinergia, a média de inteligência vai crescendo até um ponto em que, minha experiência estima entre 10 a 15 pessoas, a partir do qual o Fator Multiplicador de QI começa a cair. Quando temos um grupo maior do que 100 pessoas (um auditório, por exemplo) o fator multiplicador começa a se aproximar novamente de 1 e continua caindo.

Deve ser porque quando o número de pessoas vai passando de 30 a 50, elas deixam de conversar livre e abertamente e passam a seguir um líder. Ah, os líderes! Que poder a figura de um líder tem de podar a inteligência de seus seguidores…!

Desse ponto em diante, é como se a inteligência de cada um fosse regredindo. Ou seja, seres humanos juntos vão emburrecendo a medida que vão se juntando. E vão ficando cada vez mais fáceis de manipular. Há casos extremos em que o Fator Multiplicador de QI pode chegar a valer um número negativo, como ocorreu durante a época do nazismo.


P.S. Esse gráfico começou a ser feito antes das manifestações de rua que estão ocorrendo por todo país, portanto seu efeito não está computado nessa “pesquisa”.

P.S. do P.S. Ou será que está? Acho que somente a ótima intenção da maioria das pessoas que estão lá impediu (por enquanto) que os eventos descambassem. Tomara que continue assim, mas é um potencial barril de pólvora para alguém que queira provocar confusão. Um lider, por exemplo.

P.S. do P.S do P.S. Aviso importante: esse texto não dispõe de qualquer base científica, é só a minha opinião besta e desabalizada.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Saco cheio




quarta-feira, 19 de junho de 2013

Tirinha atrasada

Demorei tanto para desenhar essa tirinha que quando acabei eu vi que já tinham baixado o preço da passagem... ahaha, tô brincando, o primeiro item da pauta já foi!

Edison - 369 - Manifestações

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Reply to All

Esse comando dos programas de e-mail deveria ser sumariamente abolido. Pronto, falei.

No Reply to All

quinta-feira, 13 de junho de 2013

The Day After

Edison - 367 - Dia dos Namorados - Day after

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Hai Kai: Amor

Inspirado pelo espírito do Dia dos Namorados, cometo, como gostam de dizer os maus poetas com falsa falsa modéstia, um pequeno hai kai em homenagem ao amor.

Amor

Quanto mais sei-o mais gosto.
Meu maior anseio
É que nunca sei o bastante.

sábado, 8 de junho de 2013

Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones

A Ivete Sangalo é morena e a Cláudia Leitte é loira. Começa aí uma comparação entre as duas cantoras baianas, com carreiras quase paralelas (a Ivete começou um pouco antes), repertório similar e coisa e tal (se quiser ver mais clique aqui). Os fãs mais ardorosos de cada uma se exaltam como torcidas de futebol na defesa de suas ídalas (eu sei, é ídolos, mas, em tempos de presidenta, não resisti).

Essaa rivalidade entre artistas contemporâneos e que seguem mais ou menos o mesmo estilo não é de hoje. Há o clássico confronto entre Marlene e Emilinha Borba, rainhas do rádio, e Dick Farney e Lúcio Alves, cantores românticos, tudo isso lá pelos anos 1940/50. Ao contrário de seus fãs, porém, geralmente esses artistas até são amigos em suas vidas privadas. A rivalidade é estimulada pela imprensa, que assim vende suas fofocas.

Dick Farney e Lúcio Alves divertiam-se muito com isso e uma música chegou a ser composta por Tom Jobim para ser interpretada por ambos. É a clássica Teresa da Praia:

A ideia desse post veio de um cartoon sensacional que vi hoje, que ironiza a “rivalidade” entre os Beatles e os Rolling Stones:

Beatles x Stones

Como se não fosse possível gostar dos dois.

Related Posts with Thumbnails