terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Balanço literário 2013

Copiando Aproveitando um post anual já tradicional do blog HCTZ - Here Comes the Zombie – da Manu, listo abaixo os livros lidos por mim durante o ano de 2013. Ao contrário dela, não pretendo comentar um por um. Se quiserem alguma consideração específica sobre algum deles, é só deixar um recado nos comentários.

Gostei da maior parte, claro, pois li a orelha antes de comprar. Foram 42 livros, sendo 20 sobre literatura em geral, 9 sobre música, 6 sobre depoimentos pessoais, 5 sobre história e 2 sobre esportes.

Houve época em que lia mais, acho que estou ficando mais seletivo. Ou talvez porque tenha lido bastante coisa na internet, o que ocupa o tempo do livro “normal”. De qualquer forma, o saldo foi positivo e já iniciei a minha pilha para 2014.

1 Vida Keith Richards
2 O jogo do anjo Carlos Ruiz Zafón
3 1992 Raí e André Plihal
4 Adoro problemas Michael Moore
5 Um olhar sobre a vida aos 80 anos Fernando Henrique Cardoso
6 O Afeganistão depois do Talibã Adriana Carranca
7 Dias de inferno na Síria Klester Cavalcanti
8 Traps - The drum wonder Mel Tormé
9 Memórias da II Guerra Mundial - vol. 1 e 2 Winston Churchill
10 Nêmesis Philip Roth
11 O prisioneiro do céu Carlos Ruiz Zafón
12 História das canções - Tom Jobim Wagner Homem
13 Os reis do Pacaembu Felipe de Queiroz
14 O último navio negreiro Erik Calonius
15 O livro da Psicologia vários
16 O príncipe da névoa Carlos Ruiz Zafón
17 O medo à liberdade Erich Fromm
18 Seu amigo esteve aqui Cristina Chacel
19 World of Gene Krupa Bruce H. Klauber
20 Inferno Dan Brown
21 Minhas histórias dos outros Zuenir Ventura
22 Maestros, obras primas & loucura Norman Lebrecht
23 O livro de ouro da MPB Ricardo Cravo Albin
24 A vida sexual dos ídolos de Hollywood Nigel Cawthorne
25 Os pilares da Terra - vol. 1 e 2 Ken Follett
26 A capital da solidão Roberto Pompeu de Toledo
27 A conspiração Franciscana John Sack
28 Guia politicamente incorreto da história do mundo Leandro Narloch
29 Fahrenheit 451 Ray Bradbury
30 México Erico Veríssimo
31 Memórias de um Engenheiro da Cerâmica São Caetano Uranes Pires dos Santos
32 Brasil - vol. 1 e 2 Errol Lincoln Uys
33 A volta de Ami desconhecido
34 Todo aquele Jazz Geoff Dyer
35 Sete dias sem fim Jonathan Tropper
36 Mundo sem fim Ken Follett
37 Manhã de domingo Cylon Rosa Neto
38 105 dias Gisela Waetge
39 Morte súbita J.K. Rowling
40 Madame Bovary Gustave Flaubert
41 Jeep Márcio Antônio Sonnewend
42 Jazz ladies Stéphane Koechlin

Boas leituras para vocês em 2014!

domingo, 29 de dezembro de 2013

Entrevista de emprego em RH 17

Edison - 420 - Entrevista de emprego em RH 17

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Calendário familiar

Esse ano resolvi preparar um calendário para distribuição interna na família, com uma tirinha para cada um a cada mês. Por sorte, somos em doze. Algumas situações são reais, outras não. Clique na tirinha para ver em tamanho ampliado.

2014-012014-022014-032014-042014-052014-062014-072014-082014-092014-102014-112014-12

E aqui, o resultado final:

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Feliz Natal, queridos passantes!

E que venha 2014!

Edison - 412 - Eu Noel

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Como preparar um coquetel

É sempre importante estar preparado nesse período de festas. Vai que nenhum dos presentes sabe fazer, né?

Esquema básico de coqueteis

(clique no desenho para ampliar)

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

A mentira tem perna curta e rabo

Uma historinha real e lamentável… mas que rendeu boas risadas depois.

Edison - 419 - Mentira tem perna curta e rabo

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Jogando uma pelada

Edison - 418 - Jogando uma pelada

domingo, 8 de dezembro de 2013

Fúria noturna

Por coincidência, hoje à noite houve uma festa numa casa vizinha que só acabou lá pelas 4:00, depois de muita música alta e conversa mais alta ainda… pqp!

Edison - 413 - Vizinho inconveniente

sábado, 7 de dezembro de 2013

IPad com suporte para Windows

Apple now supports Windows

sábado, 30 de novembro de 2013

Propagandas antigas da Ford

Clique na imagem para ampliar

Anúncio antigo Ford 01Anúncio antigo Ford 02Anúncio antigo Ford 03Anúncio antigo Ford 04Anúncio antigo Ford 06Anúncio antigo Ford 07Anúncio antigo Ford 08Anúncio antigo Ford 05

sábado, 23 de novembro de 2013

Cada um sabe do seu negócio

AA - Revista - Abri meu negócio

Se o chefe dela era o marido ou namorado, então tá bem vingada!

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Deja-fu

Deja fu

Não sei quem é o autor, mas merece nota 10!

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Briga de casal 12: L.E.R.

Meu amigo Euricéfalo comentou no meu post anterior que eu deveria me desamarrar do Bitstrpis e começar a fazer tirinhas a mão. Aí está, não falei que ia ficar prá lá de tosco?

Edison - 411 - L.E.R.

P.S. Um casal em que um deles tem pouco senso de humor e o outro pouca sensibilidade é problema na certa.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Desânimo…

Há duas ou três semanas o site que eu utilizo para fazer tirinhas (Bitstrips.com) está fora do ar para manutenção… isso me desanima um pouco e, só por isso, vou fazer uma tirinha desanimada.

Edison - 411 - Desânimo

sábado, 9 de novembro de 2013

Because

Um clássico dos Beatles. A letra é de uma simplicidade que só as coisas mais geniais podem ser.

Because the world is round it turns me on
Because the world is round
Because the wind is high it blows my mind
Because the wind is high
Love is old, love is new
Love is all, love is you
Because the sky is blue, it makes me cry
Because the sky is blue

O vídeo abaixo mostra a harmonização das vozes de John, George e Paul.

Agora a versão que resultou da desmontagem acima:

Segundo Lennon, Because foi inspirada na Sonata ao Luar, de Beethoven. Yoko a estava tocando ao piano e ele pediu para ela tocar ao contrário. A letra foi escrita em cima dessa versão. Quem disse que a Yoko não deu sua contribuição para os Beatles?

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Prensada é da defesa!

Recebi esse delicioso texto por e-mail, com as 10 “regras” do futebol de rua. Parabéns ao seu anônimo autor. Realmente, quem não jogou perdeu uma das melhores coisas da vida.

ESPECIAL / CRIANÇAS / RUA


1. A BOLA
A bola pode ser qualquer coisa remotamente esférica. Até uma bola de futebol serve. No desespero, usa-se qualquer coisa que role, como uma lata vazia ou a lancheira do irmão menor.

2. O GOL
O gol pode ser feito com o que estiver à mão: tijolos, paralelepípedos, camisas emboladas, chinelos ou os livros da escola.

3. O CAMPO
O campo pode ser só até o meio-fio, calçada e rua, rua e a calçada do outro lado e, nos grandes clássicos, o quarteirão inteiro.

4. DURAÇÃO DO JOGO
O jogo normalmente vira em 5 e termina em 10, mas pode durar até a mãe do dono da bola chamar ou escurecer. Nos jogos noturnos, até alguém da vizinhança ameaçar chamar a polícia.

5. FORMAÇÃO DOS TIMES
Varia de 3 a 20 jogadores de cada lado. Ruim vai para o gol. Perneta joga na ponta esquerda ou a direita, de óculos é meia-armador, para evitar os choques. Gordo é beque.

6. O JUIZ
Não tem juiz. Todo jogador tem o direito de gritar "falta".

7. AS INTERRUPÇÕES
No futebol de rua, a partida só pode ser paralisada em 4 eventualidades: 
a) Se a bola cair no quintal da vizinha chata. Neste caso os jogadores devem esperar 10 minutos pela devolução voluntária da bola. Se isso não ocorrer, os jogadores devem designar voluntários para bater na porta da casa e solicitar a devolução, primeiro com bons modos e depois com ameaças de pular o muro. 
b) Quando passar na rua qualquer garota gostosa.
c) Quando passarem veículos pesados. De ônibus para cima. Bicicletas e fusquinhas podem ser chutados junto com a bola e, se entrar, é gol.
d) Quando passa uma mãe carregando a criança no colo.

8. AS SUBSTITUIÇÕES
São permitidas substituições nos casos de: 
a) Um jogador ser carregado para casa pela orelha para fazer lição. 
b) Jogador que arrancou o tampão do dedão do pé. Porém, nestes casos, o mesmo acaba voltando a partida após utilizar aquela água santa da torneira do quintal de alguém.

9. AS PENALIDADES
A única falta prevista nas regras do futebol de rua é atirar o adversário dentro do bueiro.

10. AS PECULIARIDADES
a) Bola no alto não sai.
b) Prensada é da defesa.
c) Os casos de litígio serão resolvidos na porrada, onde prevalecem os mais fortes ou quem pegar uma pedra antes...

Futebol de rua 1

Era bom demais!

domingo, 3 de novembro de 2013

Boas práticas para escrever um e-mail

email

Os e-mails aos poucos, senão já totalmente, substituem as cartas escritas à mão, envelopadas, seladas e postadas no correio. Claro, é muito mais prático e rápido, basta ter um computador, coisa que a maioria já tem acesso. Digo, pelo menos entre os que escreveriam cartas. E isso vale tanto para a correspondência pessoal quanto comercial.

A facilidade e rapidez dessa forma de comunicação, no entanto, não podem deixar de lado algumas “formalidades”, como educação, respeito, clareza e bom senso. Recebo no meu trabalho centenas de e-mails semanalmente, a maior parte deles, embora curtos, tomam um tempão para serem entendidos de tão mal escritos, com erros de português, pontuação, um horror. Isso para não mencionar que às vezes não dá pra saber se o remetente está bravo com você ou se é só o jeitão dele mesmo.

Outro dia, uma amiga me pediu para dar umas dicas sobre o assunto. Resolvi colocá-las por escrito só para deixá-las mais organizadas. Acredito que não haja nada de novo nelas, mas algumas só compreendi realmente depois de muito sofrimento, podem acreditar.

Vamos a elas:

  • Lembre-se sempre das etapas: apresentação, descrição e conclusão.
  • Uma saudação no início e uma despedida ou agradecimento no final também não fazem mal nenhum.
  • Ao escrever, coloque-se na posição de quem está lendo. Imagine que você não saiba de que se trata o assunto, o e-mail deverá ser suficiente para fazê-lo saber.
  • Antes de responder a um e-mail, entenda o que está sendo pedido.
  • Deixe claro se a sua mensagem é apenas informativa ou se você está pedindo alguma. Nesse último caso, veja se está claro o que você precisa (de novo, coloque-se na posição de quem está lendo.)
  • Se houver vários assuntos sendo tratados, comece pelo mais importante.
  • Muito cuidado com a ortografia, pontuação, concordância, etc.
  • Não se esqueça das palavras mágicas “por favor”, “obrigado” e suas variações.
  • NÃO GRITE! Escreva sempre com letras minúsculas, use as maiúsculas apenas no início das frases, nomes próprios, enfim, somente onde devem ser usadas.
  • Leia e releia várias vezes o que escreveu. Corrija sem preguiça.
  • Nunca escreva mais do que o necessário – é, eu ainda carrego esse defeito...
  • Tente fazer tudo isso sem perder a espontaneidade. Evite a formalidade excessiva (não precisa terminar um e-mail com a frase “reiteramos os nossos mais elevados protestos de estima e consideração” ou “sem mais para o momento”.)
  • Preste atenção nos e-mails que você considera como bem escritos, sempre servem de inspiração.
  • Avalie as respostas que você recebe. Sua mensagem foi compreendida? Aprenda com seus próprios erros e acertos.
  • Lembre-se que o seu e-mail pode ser repassado para outras pessoas, portanto cuidado com as informações que coloca. Não xingue nem fale mal de outra pessoa – eu já fiz essa caca…
  • Se você não quiser que o seu e-mail seja repassado, deixe bem claro isso em letras maiúsculas (nesse caso pode usar maiúsculas, MAS SÓ NESSE CASO!)
  • Caso um e-mail recebido o(a) deixe irritado(a),  sempre espere no mínimo 20 minutos antes de respondê-lo - é o tempo de baixar a adrenalina e evitar que escrevamos muita besteira – ah, se eu soubesse disso há alguns anos...

Em tempo, enquanto a Microsoft e as demais criadores de programas de e-mail não excluirem a nefasta função “Reply to All”, “Responder para Todos” ou algo parecido, pense muito antes de realmente responder o e-mail para todo mundo. Pode ser que sua resposta não interesse a todos.

Edison - 0369 - No Reply to All

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

A tecla de sexta-feira

Já virou tradição: sexta-feira é o dia de apertar a tecla “foda-se”.

Muito cuidado para não apertar a tecla errada!

Edison -410 - Tecla Foda-se

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Ressonância

Por causa de um problema nas costas, tive que me submeter a uma ressonância. Já havia feito esse exame nos joelhos e sabia mais ou menos o que me aguardava. O fato de que dessa vez teria que entrar completamente dentro do tubo não me impressionou muito.

E lá fui eu. Colocaram-me numa salinha e me pediram pra vestir os trajes do exame, algo como um pijama velho, porém limpinho, e pró-pés, tipo um chinelinho de pano.

Entrei na máquina e o exame começou.

Tum-tum-tum-tum-tum-tum-tum-tum-tum-tum-tum-tum-tum-tum
Toin-toin-toin-toin-toin-toin-toin-toin-toin-toin-toin-toin-toin-toin-toin
Putz-putz-putz-putz-putz-putz-putz-putz-putz-putz-putz-putz-putz
Tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá
Blam-blam-blam-blam-blam-blam-blam-blam-blam-blam-blam-blam

Fiquei ali imaginando que deve ser assim que os caras compõem música eletrônica de balada, sem tirar nem por. Às vezes mais agudo, depois mais grave e a música continuava. E eu contando o tempo mentalmente para ver se adivinhava quando ia parar cada seção…

Peng-peng-peng-peng-peng-peng-peng-peng-peng-peng-peng-peng
Plim-plim-plim-plim-plim-plim-plim-plim-plim-plim-plim-plim-plim
Bióin-bióin-bióin-bióin-bióin-bióin-bióin-bióin-bióin-bióin-bióin-bióin
Puc-puc-puc-puc-puc-puc-puc-puc-puc-puc-puc-puc-puc-puc-puc-puc
Zip-zip-zip-zip-zip-zip-zip-zip-zip-zip-zip-zip-zip-zip-zip-zip-zip-zip-zip

Terminada a seção, o assistente me informou que o exame da coluna estava pronto e que faltava só o da bacia, o qual seria feito em outra máquina. Esperançoso, perguntei:

- Por acaso tem uma que faça som de piano ou saxofone?

Edison - 0409 - Ressonância

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Judiação com os beagles

Beagle

De repente, não mais que de repente, a galera descobriu que as indústrias que lidam com produtos químicos utilizam animais em seus testes. Choveram fotos comoventes de beagles (acima) e até uma comparação fotográfica (abaixo) entre as jaulas deles e a dos judeus nos campos de concentração, fazendo um paralelo falacioso, horroroso, péssimo e de muito mau gosto entre as situações.

Aushcwitz x Royal

Eu adoro beagles! Sou um dos maiores fãs do Snoopy. Tinha a coleção completa de suas revistinhas. Detesto pensar que eles possam ser utilizados para testes. Eu jamais teria coragem para fazer isso pessoalmente. Ainda se fossem ratos!

Então? Faria diferença? Só porque associamos os ratos com coisas nojentas e desprezíveis como os políticos? Eu penso que não.

Snoopy

Não sei dizer se o tal do Instituto Royal maltratava os bichos ou não, não vem ao caso no calor dessa discussão. Infelizmente, o fato é que ainda não existem alternativas para todos os testes a que os produtos têm que se submeter antes de serem utilizados por nós. Algumas empresas dizem que não utilizam animais para testar seus produtos, mas não fazem referência aos componentes do seu produto final. Ou seja, é só marketing. Empresas sérias admitem que o fazem, mas ao mesmo tempo buscam desenvolver alternativas de testes sem utilizar os animais. Melhor assim, mas parece que isso não será possível antes de 10 anos.

Até hoje existem inúmeras pessoas que sofrem o efeito da talidomida, remédio utilizado no final da década de 50. Mulheres grávidas que o tomaram geraram bebês deformados. Isso porque a talidomida foi testada em ratos (feios, porém pouco sensíveis aos efeitos da droga) ao invés de coelhos (mais bonitinhos, mas também mais sensíveis).

Tomates orgânicos foram testados em animais. A tinta do mouse que você usa também. Até hoje utilizamos animais para fazer sapatos e outros produtos, só para citar um exemplo besta. Nós os comemos!

É uma pena, mas é a realidade. É justo? Talvez não. A vida não é muito justa.

Quer ver um artigo bem didático sobre o assunto? Clique aqui.

Ratos

Complemento: assista também esses vlogs (gravados em 2012, distante portanto da discussão atual); são meio que continuação um do outro:

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Ainda sobre o caráter

"Não importa o tamanho do caráter e sim a sua firmeza"

Edison Jr.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Valet Service

Edison - 0406 - Valet Service

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Meça suas palavras!

Edison - 0405 - Ao pé da letra

#BAD13 – Trabalho infantil

#BAD13

O Blog Action Day é uma data que se repete anualmente, em que os blogueiros cadastrados publicam um post sobre um tema pré-definido. Este ano o tema escolhido foi Direitos Humanos.

Pensando sobre o que blogar, assisti há alguns dias um vídeo do Globo News com um entrevista da coordenadora do programa de educação do Unicef no Brasil, Maria de Salete Silva, sobre o trabalho infantil. Clique aqui para ver a entrevista. Em resumo, a coordenadora afirmou que houve uma redução do trabalho infantil em 67% no Brasil desde o ano 2000, porém ainda existem 3,6 milhões de crianças trabalhando.

É muito triste imaginar criancinhas trabalhando em minas de carvão ou em indústrias, pequenos Oliver Twists tupiniquins, se me perdoam a comparação, e é bom mesmo que se acabe com isso mesmo.

O que me deixa encafifado, é que nessa mesma conta entram jovens de 16 e 17 anos. Conheço e conheci muitos jovens que trabalham desde essa idade. Claro, o ideal é que eles pudessem dedicar todo seu tempo aos estudos e folguedos, ao invés de trabalharem de dia e estudarem à noite, mas infelizmente, sabemos que a realidade do país ainda não permite isso, se é que algum dia irá permitir.

Sinceramente, não vejo como um grande problema que jovens dessa idade trabalhem em condições formais, dignas e devidamente supervisionadas, adquirindo experiência profissional que lhe será útil pela vida inteira e, muitas vezes, direcionando sua vocação. Trabalhar também pode fazer parte da educação.

Proibir indiscriminadamente o trabalho infantil (acima de 15 anos, repito, para não ficar fora do contexto) é tirar de muitos jovens a oportunidade de ajudar no orçamento doméstico, é fomentar o trabalho informal e até, em última instância, aumentar a criminalidade. Um problema muito maior no meu entender.

E você, o que acha?

#BAD13 – Pediram para eu colocar essa hashtag no blog, mas como não sei onde, então vai aqui mesmo e no título também, por via das dúvidas.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Sweet!

Edison 0404 - Candy Crush

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Conselho paterno

Edison - 0403 - Conselho paterno

O conselho é bom, mas precisa ser melhor contextualizado…

domingo, 13 de outubro de 2013

The bus

Genial! Não achei outra palavra para definir a série de cartoons surreais "The Bus" (de Paul Kirchner).  Alguns exemplos:

2NVkTLch

NR7KgMOh

RvqVZmgh

Para ver mais, clique aqui.

Related Posts with Thumbnails