quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Petrópolis Jazz & Blues Festival 2012


Festival 2

Dias 12 e 13 últimos, estive em Petrópolis para ouvir boa música na 2ª edição do Petrópolis Jazz & Blues Festival. Descobri esse festival graças ao blog CJUB Jazz & Bossa e no início nem pensei a sério em ir até lá, mas conversa vai, conversa vem, aproveitei para rever aquela deliciosa cidade do Estado do Rio de Janeiro e fazer um passeio a tempos prometido aqui em casa. O “preço” foi terem que me acompanhar na maratona do festival.

Não vou me estender pela programação completa do festival, a qual você pode encontrar o link abaixo, falarei apenas das quatro apresentações a que eu assisti.

Cricket Taylor (+Big Gilson)

Nascida no Mississipi e criada no Texas, Taylor tem uma presença de palco incrível, sem precisar fazer malabarismos para isso, valendo-e apenas do som da guitarra e sua voz forte. Grande blueseira! Foi acompanhada por outro bluesman de primeira, Big Gilson.

 

Wilson Meireles Trio

O vigoroso baterista Wilson Meireles comandou o trio, que atacou de Samba-jazz.

 

Grupo Foco

O Grupo Foco é composto pelos músicos Marcelo Martins (sax), João Castilho (guitarra), Jefferson Lescowich (baixo) e Renato Massa (bateria), e todos já acompanharam grandes nomes da MPB. É uma pena que o vídeo abaixo não faça juz ao som dos caras.

Yanel Matos

Dos que eu vi, esse cantor, pianista e violoncelista cubano foi o que mais me impressionou. Fera!

 

Além desses, houve apresentações públicas na cidade de Petrópolis, algumas voltadas para as crianças. Muito legal a iniciativa.

Por fim, mas não menos importante, assisti a uma ótima palestra sobre As Raízes e a Formação do Jazz, proferida pelo jornalista (e até então um amigo virtual apenas) Mario Jorge Jacques, o cara que toca o blog CJUB mencionado acima. Infelizmente, as condições da sala em que foi feita a apresentação não ajudaram muito, mas mesmo assim valeu a pena.

Para não ficar só nos elogios, seguem alguns pontos que podem ser melhorados pela organização do festival no próximo ano:

  • mais pontualidade no início das apresentações.
  • o estacionamento anunciado como gratuito ficava em meio a um lodaçal, forçando todo mundo a contratar o serviço de manobrista por R$ 10. Isso no primeiro dia, porque no segundo eles tiveram o desplante de aumentar para R$ 15. Uma sacanagem.
  • educação do público: muita conversa durante as apresentações; não sei o que a organização pode fazer a respeito, mas acho que ajudaria se tirasse os pontos de venda de bebidas de dentro do salão de apresentação.

Ano que vem eu volto!

Site oficial do festival: Petrópolis Jazz & Blues

2 comentários:

MaJor disse...

Estimado Edson primeiro muito grato pelas palavras muito gentís. Com certeza a organização pecou e muito. Minha palestra quase que não sai, porque marcada para o mesmo local dos shows as 18 e o primeiro as 20h não ía dar certo, apesar de ter avisado com bastante antecedência que daria problema e não deu outra. Tiveram que armar o som no palco e complicou, mas o organizador, apesar de meio tonto com os pipinos, fez questão e arranjou aquele local e só dei a palestra porque começou a chegar gente e perguntar pela mesma (nada cobrei e assim também não tinha maior compromisso). Experiência é tudo e se houver ano que vem será diferente. Quanto ao barulho durante a apresentação é um mal, nacional, virus de alta incidência. Aqui em Itaipava tentamos algumas jam sessions, até que foram boas como jazz local, mas a falta de consideração do público era terrível, píor ainda que era em um bar. Muito bem - keeping swing. Um grande abraço
Mario Jorge

mara* disse...

Felizardo!
- Pedir pontualidade e educação à maioria dos brasileiros é uma cruzada justa, porém, inglória.

Related Posts with Thumbnails