quarta-feira, 23 de maio de 2012

Tadinhas das sacolinhas

A quem interessar possa, segue a minha opinião sobre a discussão em torno das sacolinhas. É óbvio que a utilização cada vez maior do plástico é um problema ambiental a ser resolvido, principalmente na hora do descarte, mas as sacolinhas plásticas foram escolhidas como as vilãs da história.

Falo isso com a "autoridade" de quem há pelo menos quatro anos utiliza basicamente sacolas retornáveis para ir às compras (clique aqui - as sacolas da foto ainda são as mesmas). Faço isso, confesso, como uma forma prática e de economia de tempo para mim. O benefício ambiental é apenas um efeito colateral.

A proibição das sacolinhas vêm gerando acalorada tertúlia, com argumentos prós e contras, na maioria das vezes falaciosos de ambos os lados. Isso é o que me enche o saco, com o perdão da piada fácil.

A maior piada, no entanto, é as grandes redes de supermercados posarem de defensoras do meio ambiente, quando parece que eles estão de olho é na economia que estão fazendo. Tiram as sacolinhas com o amparo da lei e desamparam o consumidor nada nos oferecendo em troca.

Grande parte das embalagens hoje em dia é feita de matéria plástica. Basta ver a estante de produtos de limpeza, por exemplo. Sinceramente, que diferença faz um punhado de sacolinhas a mais ou a menos? Sacolinhas essas que são recicláveis ou podem ser utizadas como sacos de lixo. Sublinhei o "ou", porque na prática metade das sacolinhas se rasga(va)m no trajeto mercado-casa.

Vi cálculos mirabolantes sobre quantos bueiros deixaram de ser entupidos com a proibição e cálculos não menos estapafúrdios sobre os lucros dos mercados ao negá-las aos consumidores. Em ambos os casos os números reais devem estar bem aquém dos apresentados. Li estudos pseudo-sérios mostrando que sacolas retornáveis (as de feira, por exemplo) apresentam alto grau de contaminação e que o melhor são as sacolas plásticas (ahahaha, essa foi boa também).

Fabricantes de sacolinhas de um lado, supermercados de outro, consumidores perdidos no meio do caminho. Muitos interesses em jogo e o menor deles é o meio ambiente. A questão ambiental passa pela educação, pelo uso consciente dos recursos disponíveis.

Mas educar dá trabalho.

É mais fácil proibir.

4 comentários:

Emmanuella disse...

Realmente, a coisa não melhorou tanto assim.

Bom, por aqui todos os supermercados ainda têm as sacolas plásticas, mas eles vendem uma grande de algodão (algumas são de lona e outras são de TNT) e a gente pode levar as compras nelas e usá-las sempre que precisar. Temos algumas aqui e usamos sempre que lembramos de levá-las, hahahah

Um outro supermercado adotou sacolas plásticas biodegradáveis. Dizem que ela se decompõe em 3 anos (nunca lembro de fazer o teste). A verdade é que o lixo vira um problema, né. A gente se vê obrigado a usar sacos de lixo, que são de um plástico um pouco mais grosso (ainda mais agora, que as sacolinhas de mercado não aguentam nada, como você mesmo disse, hahahaha) e devem demorar bem mais pra se decompor.

Eu sei lá, procuro fazer o possível, mas é como você apontou. Não adianta nada descartar sacolinha e só usar copo descartável, embalagem de plástico em vez de papel ou vidro e todo o resto.

Edison Junior disse...

Isso mesmo, Manu. Essa sacolas que eles vendem é uma nova fonte de renda para os supermercados.
Já vi reportagens afirmando que nem todas essas sacolas vendidas como biodegradáveis realmente o são. Ou seja, pagamos por uma coisa que tínhamos de graça, sem nenhum ganho para nós ou o meio ambiente, só para os supermercados neo-verdes.

Anônimo disse...

Respeito e amo a Natureza.

Só como exemplo, penso e repenso inúmeras vezes quando preciso fazer uma poda em uma arvore, arbusto ou outras plantas, mesmo quando este procedimento é necessário para a saúde do vegetal. No final acabo podando, mas extremamente contrariado.

Mas esta esta questão sobre as sacolinhas me tira do sério !!!

Através de uma campanha bem organizada envolvendo o governo, os supermercados e a mídia, nós o Zé Povinho, mais uma vez fomos enganados, agora em nome na Natureza.

Esta lei capenga, só resolveu o problema dos criadores da mesma.

Ademir

mara* disse...

Sabemos das 1001 utilidades das sacolinhas, uma delas não é acondicionar o nosso lixo de cada dia? Pois é...sem elas o lixo será colocado aonde? Em sacos plásticos.

Related Posts with Thumbnails