quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Músicas que eu queria ter composto

Clóvis Graciano 10

Quando fiz a lista de filmaços (veja os dois post clicando aqui e aqui), um amigo sugeriu que eu fizesse o mesmo com as músicas. Como eu já fiz uma lista de discos que já ouvi até furar (clique aqui), vou fazer um pouco diferente e colocar as músicas que eu gostaria de ter composto, não pela sua qualidade técnica ou musical, mas porque em algum momento da minha vida eu bem que poderia ter sido o autor ou, melhor dizendo, o letrista. Algumas vou explicar porquê, outras talvez não. E sem nenhuma ordem cronológica.


Sem fantasia
(Chico Buarque) – Essa música, uma das mais bonitas de Chico, me lembra de uma época que eu a cantava com a minha mãe, ela ao violão.


Ao meu redor
(Nando Reis) – Letra meio non-sense do melhor (na minha opinião) álbum de Marisa Monte. O engraçado é que a parte que eu gosto mais nem é original da letra, vem de uma música folclórica do Nordeste: “tu não faz como um passarinho; que fez o ninho e avoou…”


All of me (Gerald Marks e Seymour Simons) – Adorava essa música na versão de Willie Nelson, mas depois que a ouvi na voz de Billie Holiday e no sax de Lester Young, o casal mais platônico da história da música, não pude deixar de fora da minha lista, justo eu, um seguidor de Platão. “You took the best part; of once was my heart; so why not take; all of me?”


Sobre todas as coisas
(Edu Lobo e Chico Buarque) – Boas perguntas sem respostas ao longo da música: “não, nosso senhor; não há de ter lançado em movimento; terra e céu; estrelas percorrendo o firmamento em carrossel; pra circular em torno ao criador”.



As cores de Abril
(Vinícius de Moraes) – Depois de maio, abril é o meu mês favorito, mas não exatamente por causa das flores, mas é que as chuvas fortes e o calorão já passaram, já começou a ficar mais gostoso para dormir, um vinho tinto começa a cair melhor à noite, o ar parece mais limpo a luminosidade do dia é mais bonita, sei lá…


Sapato velho
(Cláudio Nucci e Paulinho Tapajós) – Conheço duas versões dessa música: a do Roupa Nova e essa com o Quarteto em Cy, de longe a minha predileta.



Something
(George Harrison) – Os Beatles têm relativamente poucas composições de Harrison em seu repertório, mas todas merecem figurar em qualquer lista das melhores do Fab 4. Especialmente essa, que adoro.



Tímido
(Paulinho Nogueira) – Bem podeira ter colocado Simplesmente, também dele, teria tudo a ver comigo. Mas essa é perfeita, sempre dou risada quando ouço.


Aliás, por quê não incluir Simplesmente, num feliz contraponto à Tímido? Acho que Paulinho Nogueira nunca ateve o reconhecimento que realmente mereceu. Que lindos e verdadeiros os versos dessa música: “quantas vezes eu já fracassei; quantos bons momentos desprezei; (…) por não saber olhar a vida simplesmente”.


Como nossos pais (Belchior) – Elis cantando em um dos seus melhores momentos sempre traz boas recordações. Gostava especialmente de ouvir no carro com o volume um pouco mais alto (e os vidros fechados, claro). Eu estava na faculdade por essa época.


Pedaço de mim (Chico Buarque) – Essa música sempre me comove, como por exemplo no verso “a saudade doi latejada; é assim como uma fisgada; num membro que já perdi”.


Luiza
(Tom Jobim) – Gosto muito dos versos “e um raio de sol; nos teus cabelos; como um brilhante que partindo a luz; explode em sete cores; revelando então os sete mil amores; que eu guardei somente pra te dar Luiza”.


Time in a bottle (Jim Croce) – Música especial de um momento muito especial da minha vida: “if I could save time in a bottle (…) I would spend it with you”.


Momentum
(Aimee Mann) – Conheci Aimee Mann graças ao filme Magnolia, para o qual ela compôs praticamente toda a trilha sonora. Ela tem umas letras um tanto ou quanto pessimistas, mas lindas, como essa: “oh, for the sake of momentum; I've allowed my fears; to get larger than life”. Aimme também não podia ficar de fora da minha lista.


Apelo
(Vinícius de Moraes)– O melhor pedido de perdão feito até hoje. Se a mulher não perdoou o Vinícius nessa, não vai perdoar a mais ninguém.



As vitrines
(Chico Buarque) – Adoro essa parte: “passas em exposição; passas sem ver teu vigia; catando a poesia; que entornas no chão”. Eh, Chico…



Boca da noite
(Paulo Vanzolini e Toquinho) – Uma felicíssima associação entre Vanzolini e Toquinho: “quando o galo me chamou; eu parti sem olhar pra trás; porque, morena, eu sabia; se olhasse, não conseguia; sair dali nunca mais”.



The sound of silence
(Paul Simon) – Gosto muito dessa músicia especialmente no contexto do filme A Primeira Noite de Um Homem, quando Dustin Hoffman, deitado em sua cama, põe-se a meditar sobre a nova etapa de sua vida.


Casa no campo
(Zé Rodrix) – Fala sério! É o que eu mais quero, uma casa no campo “onde eu possa guardar meus amigos; meus discos, meus livros; e nada mais”. Gozado, meu computador está muito perto de satisfazer esse sonho.


Epitáfio (Sergio Britto) – Muito legal o recado dessa música, poderia constar do epitáfio de qualquer um: “a cada um cabe a alegria; e a tristeza que vier”.



O que é, o que é?
(Gonzaguinha) – Uma das músicas mais otimistas que já ouvi: “viver e não ter a vergonha de ser feliz; cantar e cantar e cantar; a beleza de ser um eterno aprendiz”!


In my life
(Lennon e McCartney) – Em resumo: “all these places had their moments; with lovers and friends I still can recall; some are dead and some are living; in my life I've loved them all”.


P.S. 1 Caramba, como tem coisa do Chico aí...

P.S. 2 Se alguém leu esse post antes, vai notar que mudei a ordem de algumas músicas e acrescentei outras.

4 comentários:

mara* disse...

Blue Moon - Richard Rodgers e Lorenz Hart (com a minha eterna musa Billie Holiday)

Ronda - Paulo Vanzolini (com a Márcia)

Atrás da porta – Chico Buarque (com Elis Regina é claro! Visceral!)

Chão de Giz – Zé Ramalho (com o próprio. Essa música me trás recordações de uma pessoa inesquecível)

Us and Them – Pink Floyd (O saxofone. Ah! O saxofone! Quando ouço ‘Us and Them ‘ sinto-me como astronauta errante a tocá-lo sentada em uma Lua minguante)

Johann Sebastian Bach - Adagio - concerrto for oboe & violin (é a música dos deuses)

Boa semana meu amigo. Beijão.

Edison Junior disse...

Ótimas pedidas, *mara! Eu andei pensando mais e "descobri" mais algumas músicas para incluir na minha lista.

mara* disse...

'All of me', umas das minha prediletas, assim como 'Georgia on My Mind'. Valeu!

Anônimo disse...

Li este post somente hoje, e a minha lista coincide muito com a sua.

Realmente este Chico não é fraco!!!

Gosto muito da musica “Até pensei” destacando os versos:

“Junto a mim morava a minha amada
Com olhos claros como o dia
Lá o meu olhar vivia
De sonho e fantasia
E a dona dos olhos nem via”

Abraços,
Ademir

Related Posts with Thumbnails