terça-feira, 27 de setembro de 2011

Teje preso!

Edison - 0176 - Me acompanhe

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Letras

Um dia desses, cheguei à minha mesa de trabalho e encontrei uma pilha de papeis para assinar, com o seguinte bilhete:

Signature 2

Achei interessante a iniciativa do rapaz em tentar escrever em inglês e, quando ele veio buscar os documentos, incentivei:

- Que legal! Você escreveu o bilhete em inglês!

- Ah, o Sr. não sabia? Eu fiz Letras! Português e Inglês!

Então tá.

sábado, 24 de setembro de 2011

Dívida

Edison - 0175 - Dívida

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Back up

Sempre que passo pela região do Museu do Ipiranga (ou Museu Paulista, como queiram), lembro-me de meu amigo George Fischer. Na verdade, ele era amigo do meu pai, mas devido à nossa afinidade pelo mundo dos computadores, tornamo-nos amigos também. Francês, emigrado após a guerra para o Brasil, tinha ainda um forte sotaque. E fazia as coisas mais doidas que se pode imaginar.

Quando, por exemplo, numa determinada rotatória, ele aconselhava:

- Aqui você acelerra e entrra a 100 porr horra!

Parecia brincadeira, mas ele realmente seguia o seu próprio conselho.

Numa época de computadores pessoais pré-históricos e sem internet (!), divertíamos-nos muito descobrindo lojas em que pudéssemos comprar acessórios para nossos Unitrons (descendente do Apple II – veja que antigo isso). Um dia, fomos a uma loja semi-clandestina que ficava numa casinha na Rua Bom Pastor. Era uma dessas casas operárias antigas, com a fachada no alinhamento da calçada e a porta um pouco recuada.

Tocamos a campainha uma, duas, três vezes, e nada. Irritado, o Sr. Fischer abriu a caixa de entrada de força e desligou a chave. Ligou-a novamente logo em seguida, fechou a portinha e fez cara de pau.

A porta da “loja” se abriu em segundos e um cara desesperado peguntou:

- Você viram alguém mexendo na caixa? A luz piscou e perdemos um trabalho que estávamos fazendo faz um tempão!

Ainda perturbado, ele abriu a porta para passarmos enquanto o Sr. Fischer perguntava admirado:

- Puxa, vocês não fazem back up?

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Já que você perguntou…

Edison - 0174 - Já que você perguntou

domingo, 18 de setembro de 2011

Toc-toc, clic-clic, quase bum, pan-pan e ai-ai

Colocamos um piso cerâmico na sala de casa há mais de dez anos. Próximo ao móvel da televisão, um leve toc-toc no piso indicava um ponto oco sob a cerâmica. Deixei como estava. Por que? Porque uma vez iniciada uma reforma, o que a gente mais quer é acabar logo com ela e se livrar do pedreiro (encanador, eletricista etc.). Como só percebemos o defeito depois que a reforma já havia sido dada por concluída, ponderamos que chamar o pedreiro de volta era um probema maior do que conviver com o toc-toc. E isso se mostrou válido até umas semanas atrás…

… quando começamos a ouvir uns clic-clics aqui e ali pelo piso. Aos poucos a área que fazia toc-toc foi se expandindo e a frequência do clic-clic foi aumentando. As placas cerâmica foram se soltando da base, mas ainda tensionadas, como se fossem fazer bum a qualquer momento.

Antes que isso acontecesse, tirei o dia de ontem para tentar minimizar o problema. Ridiculamente vestido de bermudas, sapato de segurança e óculos de proteção, peguei minhas toscas ferramentas e pus-me a quebrar o rejunte, a princípio lentamente, pan-pan, depois, à medida que fui ganhando confiança, pan-pan-pan-pan! Consegui salvar várias placas, algumas quebraram, mas felizmente temos umas de reserva.

Agora precisamos achar um pedreiro cuidadoso (ahahaha) para retirar as demais placas soltas e tentar salvar o prejuízo. Enquanto isso, precisamos comprar um tapete de uns 2 x 3 metros.

2011-09-17 Piso 01a2011-09-17 Piso 02a

Ah, sim o ai-ai refere-se às minhas costas, que não gostaram muito do programa matinal de sábado.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Otimismo

Edison - 0173 - Meio bom, meio ruim

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

+ Filmaços!

Seguem mais alguns filmes que eu também gosto muito, mas que me havia esquecido na lista anterior (veja em Filmaços!) ou ficaram apenas um pontinho abaixo de figurarem nela. Repare que essa é uma lista mais light, tem mais comédias. Os filmes do Charles Chaplin, James Bond, De Volta para o Futuro, Harry Potter e Indiana Jones estão representando todos os demais da série. Agora a lista está completa. Ou talvez não…

Filme - AmadeusFilme - O Nome da RosaFilme - O PianistaFilme - Perfume de MulherFilmes - La Dolce VitaFilme - Um Espírito Baixou em MimFile - Bye Bye BrasilFilmes - Meus Caros AmigosFilmes - A Casa do LagoFilmes - 007Filmes - Pasqualino Sete BelezasFilme - O Ano em que Meus Pais Sairam de FériasFilme - Vidas SecasFilmes - Charles ChaplinFilme - A Pantera Cor-de-RosaFilme - De Volta Para o FuturoFilme - Indiana Jones e os Caçadores da Arca PerdidaFilme - Harry PotterFilme - SábadoFilme - O Favor, o Relógio e o Peixe Muito Grande

Nota: lamentável e inexplicavelmente, os dois últimos inexistem em DVD, somente em VHS.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

O professor de português

Edison - 0172 - O professor

Frase proferida por Firmo Costa, antigo professor de português de um primo da minha mãe.

Aliás, foi graças a essa frase que eu aprendi que rosetar (e acicatar) é o mesmo que tocar o animal com a espora.

domingo, 11 de setembro de 2011

E virou história

Graças à generosa biblioteca do meu saudoso avô Zuza, pude ter acesso a uma grande literatura sobre a 2ª Guerra Mundial, suas origens, a política mundial, as grandes batalhas, os dramas individuais e coletivos. Até hoje me impressiona como esse conflito assumiu proporções tais que mudaram totalmente a cara do mundo.

Para mim, nascido 12 anos após seu término, a 2ª Guerra Mundial sempre foi apenas um fato histórico. Mas gostava de imaginar como meu avô teria vivido esse período, acompanhando o avanço e recuo das tropas pelos jornais, vivendo durante quatro ou cinco anos a angústia de não saber como terminaria a história.

Fiz esse preâmbulo por causa de uma sensação engraçada que tenho vivido nos últimos dias por conta do aniversário de 10 anos do atentado contra as torres gêmeas em Nova York, em 11 de setembro de 2001.

Naquele dia eu estava a 2.000 km de casa, numa viagem a serviço. Quando começaram a chegar as primeiras notícias, a coisa soava como impossível. Os recursos de vídeo na internet de então eram limitados e as imagens que se conseguiam ver eram muito toscas. Se fosse hoje, pululariam vídeos de alta resolução no youtube alguns segundos após o fato ou, quem sabe, talvez até antes, postado de dentro de um dos aviões. Nas noites seguintes, as televisões ficaram ligadas nos noticiários onde aos poucos digeríamos os fatos. No hotel onde eu estava hospedado, por uma dessas coincidências, no dia seguinte ao atentado o contrato de TV a cabo deles perdeu a imagem da CNN, o que me fez pensar em inúmeas teorias conspiratórias. A única certeza é de que o mundo não seria mais exatamente o mesmo da li para frente.

Mas 10 anos é muito tempo. Já sabemos mais ou menos no que deu. Não me angustia mais. Embora ainda ache o fato impressionante e significativo, a sensação que se tem (eu tenho, melhor dizendo) é a de que estamos assistindo a um documentário. Como se fosse sobre a 2ª Guerra ou a Queda da Bastilha ou a Revolução Russa. A inauguração do monumento às vítimas parece aqueles encontros anuais dos pracinhas da FEB. Embora as consequências ainda estejam por aí, pricipalmente se você for afegão ou iraquiano, os atentados ficaram distantes, quase tão inacreditáveis quanto o Holocausto. Só falta alguém começar a dizer que eles não ocorreram realmente.

image

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Um olho no peixe e o outro no gato

Edison - 0171 - Um olho no peixe e o outro no gato

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

1000!

Rogerio 1000

Rogério Ceni completa hoje 1000 jogos como goleiro titular do São Paulo. Mais uma marca entre outras tantas já conquistadas por ele. Ele é um ídolo 99,99% da torcida do São Paulo. Muitos o consideram um mito.

Um “mala” para alguns, arrogante e presunçoso para outros, o fato é que a história que ele fez (e ainda tem por fazer) no clube que defende há exatos 21 anos tem poucos paralelos na história do futebol. Excelente goleiro, embora nunca tenha sido o melhor do mundo e talvez nem o melhor que o São Paulo já teve, viveu momentos brilhantes, como na vitória sobre o Liverpool em 2005, e colecionou uns franguinhos, que as conquistas ofuscarão e tornarão sem importância. Artilheiro, marcou mais de 100 gols, provavelmente algo equivalente a um jogador de linha marcar 1000. Líder em campo, suas palavras e atitudes mudaram muitas vezes o resultado de uma partida e o ânimo da equipe. Tem ótima visão de jogo, não foram poucas as jogadas de gol que sairam de seus pés. Mas, para mim, é sobretudo pelo amor à camisa que ele vale mais. Joga como o torcedor da arquibancada (ou do sofá, no meu caso) jogaria se estivesse em campo. Fica alegre ou triste na mesma medida.

Rogério está para o sãopaulino como Pelé está para o santista, Sócrates (força!) para o corintiano e Marcos para o palmeirense, só para citar alguns exemplos aqui de São Paulo. Em comum, eles têm o fato de serem símbolos de seus clubes, idolatrados pelos seus torcedores e, isso é muito significativo, admirados por torcedores dos times adversários.

Edison - Rogério 100 1

Não gosto muito de falar sobre futebol nesse meu cantinho, mas não posso deixar passar essa data em branco. Parabéns RC, e obrigado pela alegrias que você já me deu.

sábado, 3 de setembro de 2011

Dando a preferência

Edison - 0170 - Passageiro preferencial

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Mulheres de Hollanda

Mulheres de Hollanda

Ana Cuba, Eliza Lacerda, Malu von Krüger, Marcela Mangabeira e Karla Boechat (que também assina a direção do grupo) formam o quinteto vocal Mulheres de Hollanda, que se dedica a pesquisar, estudar e cantar o feminino na obra de Chico Buarque de Hollanda.

O resultado é que em seus sempre lotados espetáculos, Mulheres de Hollanda leva a plateia do riso às lágrimas, da introspecção ao sorriso, num espetáculo intenso, divertido e muito emocionante.

(texto extraído do blog do grupo: Mulheres de Hollanda)

Com vocês, sem mais delongas, as simpáticas e competentíssimas Mulheres de Hollanda!

Roda Viva

Você Vai Me Seguir

Sem Fantasia

Trocando em Miúdos

Site oficial: Mulheres de Hollanda


Crédito: conheci esse grupo graças à dica do meu grande amigo Ademir, aquele das maritacas.

Related Posts with Thumbnails