sábado, 26 de fevereiro de 2011

Automotivação

Empregos difíceisComo todo empregado de uma grande empresa - a propósito, me recuso a utilizar o termo colaborador, sou empregado mesmo e não vejo nada de mal nisso – frequentemente nos vemos tentados a agir mecanicamente e a nos diluir na multidão. Nossos eventuais insucessos podem facilmente ser atribuídos à organização ou aos “outros” de forma geral. Os fatores externos de motivação são efêmeros e não se deve contar com eles. É mandatório ter um grande poder de automotivação para não cair na vala comum. É um exercício duro e diário e nem sempre se consegue, mas é fundamental para a sobrevivência, não do emprego propriamente dito, mas de seus próprios princípios, e deles a gente nunca deve abrir mão. Além disso, proporciona notáveis e benéficos efeitos colaterais na saúde mental.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Robert Crumb - Uma breve história da América

Sequência do cartunista Robert Crumb sobre a história da América, usando como tema a formação e crescimento de uma cidade a partir de uma pacata paisagem natural, da qual só resta no final uma leve semelhança topográfica.

Robert Crumb - Breve história da América 01Robert Crumb - Breve história da América 02Robert Crumb - Breve história da América 03Robert Crumb - Breve história da América 04Robert Crumb - Breve história da América 05Robert Crumb - Breve história da América 06Robert Crumb - Breve história da América 07Robert Crumb - Breve história da América 08Robert Crumb - Breve história da América 09Robert Crumb - Breve história da América 10Robert Crumb - Breve história da América 11Robert Crumb - Breve história da América 12

Leia também o post sobre Robert Crumb e a música no Musicólatras.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Tudo é maravilhoso e ninguém está feliz

Realmente, como a gente gosta de reclamar! Esse camarada, Louis C. K. (desconheço quem seja), disse exatamente o que eu gostaria de ter dito sobre esse assunto.

Infelizmente o vídeo com legenda foi removido, mas vale o esforço.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Sucesso pessoal

Muitas de nossas aspirações pessoais e ações baseiam-se na comparação social. É parte da nossa cultura colocar sempre os interesses pessoais em primeiro lugar e achar que a vida é um jogo onde um tem que perder para o outro poder ganhar. Os colegas de trabalho, da escola e até mesmo da família são vistos como competidores. Quanto mais eles ganharem, menos sobrará para nós. Essa mesma sociedade exige que pareçamos felizes quando alguém ganha de nós uma etapa do jogo. Hipocritamente, fingimos alegria e fair play. Por outro lado, é inegável que algumas das maiores realizações da história da humanidade foram conseguidas graças a alguém que mostrou mais determinação que outras pessoas.
Família
É tudo questão de você descobrir dentro de si o que você entende por sucesso. É você quem decide se vai participar do grande jogo comum ou se vai jogar o seu próprio jogo. O que você quer ganhar? O que você seria capaz de fazer por isso?

Afinal, o que é sucesso para você?

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Quer um bom conselho?

Edison - 0122 - Bom conselho

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

1822

Acabo de ler o livro 1822, de Laurentino Gomes. Assim como 1808, do mesmo autor, 1822 me fez sentir um pouco (muito) ignorante. Fiquei realmente impressionado como a gente desconhece a história do Brasil. E olha que eu gosto muito de ler a respeito.

A menos que se disponha a ler uma extensa bibliografia, normalmente a gente fica com a versão da história simplificada ensinada nas escolas ou alguma versão ufanista oficial ou, ainda, à generalização fácil e autoavacalhante que se faz de nossos personagens históricos. Em outras palavras, ficamos entre a imagem do filme Independência ou Morte (1972), com Tarcísio Meira e Glória Menezes, filmado no auge do regime militar, e a outra extremamente caricata de Carlota Joaquina (1995), com Marieta Severo e Marco Nanini. Nada contra os filmes citados, assisti-os e recomendo-os. Digo apenas que carecemos de filmes históricos que sigam um caminho intermediário, só para variar. Um bom exemplo de exceção que confirma a regra é o filme Hans Staden (já viram?), é muito bom, mas isso é outra história.

Voltando ao 1822, revelo em público, e sem vergonha nenhuma da minha ignorância, duas coisas que aprendi em sua leitura:

1) Sempre achei estranho a Bahia comemorar a data de 2 de julho como a da 2dejulhoindependência do Brasil, muito mais que 7 de setembro, à qual eles nem ligam. Aeroporto 2 de julhoEntendi agora o clima de revolta da população quando mudaram o nome do aeroporto de 2 de julho para Luiz Eduardo Magalhães, numa singela homenagem ao filho do homem (ACM). Os baianos chegam a dizer que 2 de julho é o dia da independência da Bahia!

Nosso processo de independência não foi apenas um brado irado de um filho mimado após uma diarréia às margens plácidas do Ipiranga. Foi um processo doloroso que começou bem antes disso e resultou em uma guerra que durou até 2 de julho de 1823, quando os heróicos baianos (ajudados é verdade por tropas enviadas do Rio por D.Pedro mais um punhado de mercenários estrangeiros) finalmente expulsaram as tropas portuguesas da Bahia, de onde Portugal esperava dividir o Brasil em duas partes, um norte-nordeste português deixando o sul independente, para depois tentar recuperar o pedaço perdido. Nossa história poderia ter sido bem diferente se os portugueses houvessem conseguido seu intento.

D.Pedro I2) Fosse D. Pedro americano ou inglês e seria reverenciado em filmes e livros como o herói que foi, não pelo referido brado, mas pela barra que segurou naquele tempo, enfrentando a Coroa Portuguesa (nem tanto seu pai D. João, mas as cortes e comerciantes portugueses que perderam muito com a abertura dos portos brasileiros para os ingleses). Pode-se discutir a influência que tinha sobre ele José Bonifácio e a maçonaria, mas D. Pedro tinha ideias próprias, era liberal e abolicionista. Além disso, a própria maçonaria se divida a respeito de como deveria ser feita a independência.

Com essa mesma mentalidade, D. Pedro voltou a Portugal para destituir seu irmão Miguel do trono português, que o havia tomado ilegitimamante em conlúio com sua mãe, D. Carlota, ameaçando a revolução liberal que ocorrera em Portugal. Pedro desembarcou quase sem recursos, resistiu bravamente a um cerco na cidade do Porto e, com o auxílio dos ingleses, retomou o trono. Governou por pouco tempo, vindo a morrer logo depois. Mas impôs uma constituição liberal que resistiu até o final da monarquia em 1910.

Mulherengo, D. Pedro teve muitas aventuras, foi amante declarado de Domitila, a Marquesa de Santos, destratava e humilhava Leopoldina e teve enorme prole fora do casamento, incluindo um filho com uma freira. Enfim, um homem pra lá de imperfeito. Mas um heroi em dois países, coisa para muito poucos.

Heróis FEBNota: outro grande momento de nossa história tantas vezes avacalhado é a participação brasileira na 2ª Guerra Mundial. Único país latino americano a enviar tropas para lutar na Europa, nossos soldados lutaram tão bravamente que o 1º Grupo de Aviação de Caça foi uma das três únicas unidades não-americanas a receber a Presidential Unit Citation, comenda dada pelo Presidente dos EUA a unidades que se destacaram em gestos de heroísmo, acima e além do dever. Descobri recentemente que estão fazendo um filme que vai resgatar esse momento. Leia mais em Contraditorium – clique aqui.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Chaplin boxeador

Todas as paródias de lutas de boxe que vieram depois dessa a copiaram pelo menos em parte.

Do filme Luzes da Cidade.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Seção descarrego

Edison - 0121 - Descarrego

sábado, 12 de fevereiro de 2011

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

As falsas

A falsa magra:

Gisele 0

E a falsa gorda:

Marilyn 0

E pensar que hoje certamente Marilyn seria considerada uma mulher gorda. Pelas mulheres, é claro, que não entendem nada de mulher.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Verdade seja dita


O amor não é aquilo que te pega de surpresa e te deixa totalmente sem ar. O nome disso é asma.

O amor não faz brotar uma nova pessoa dentro de você. O nome disso é gravidez.

O amor não torna as pessoas mais bonitas. O nome disso é álcool.

Todo mundo comete erros. O truque é cometê-los quando ninguém está olhando.

Leio a Playboy pela mesma razão que leio a National Geographic: gosto de ver fotografias de lugares que sei que nunca irei visitar.

Quando sua mulher fica grávida, todos alisam a barriga dela e dizem "parabéns". Mas ninguém apalpa seu saco e diz "bom trabalho".

Verdade
Recebidas por e-mail.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Curiosidades do nosso congresso

Congresso

  • Um motorista do Senado ganha mais para dirigir um automóvel do que um oficial da Marinha para pilotar uma fragata.
  • Um ascensorista da Câmara Federal ganha mais para servir os elevadores da casa, do que um oficial da Força Aérea que pilota um Mirage. 
  • Um diretor (?) que é responsável pela garagem do Senado ganha mais que um oficial-general do Exército que comanda um regimento de blindados.
  • Um diretor sem diretoria do Senado, cujo título é só para justificar o salário, ganha o dobro de um professor universitário federal concursado, com mestrado, doutorado e prestígio internacional.
  • Um assessor de 3º nível de um deputado, que também tem esse título para justificar seus ganhos, mas não passa de um mero estafeta de correspondências, ganha mais que um cientista-pesquisador da Fundação Instituto Oswaldo Cruz, com muitos anos de formado, que dedica o seu tempo buscando curas e vacinas para salvar vidas. 
  • O INSS paga a um médico por uma cirurgia cardíaca com abertura de peito a importância de R$ 70,00, o que equivale ao que uma diarista cobra para fazer a faxina num apartamento de dois quartos.

Dados recebidos em um e-mail apócrifo. Mesmo que as informações não sejam exatas, são pelo menos plausíveis, conhecendo-se aquelas casas de tolerância como a gente conhece.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Revelações sobre Colombo

Pesquisas recentes dão conta que o genovês Cristovão Colombo, ao contrário do que se pensava até hoje, era solteiro. Isso é relevante? Sim. A história do descobrimento da América poderia ter sido bem diferente.
Imagine o pobre Colombo chegando em casa e contando que iria fazer uma viagem a trabalho. O que a mulher dele teria a dizer sobre isso?

Colombo 01
Colombo 02
Colombo 03
Colombo 04
Colombo 05
Colombo 06
Colombo 07
Colombo 08
Colombo 09
Colombo 11
Colombo 10
Colombo 12
Coitado do Colombo. Além de ter perdido a chance de batizar o novo continente com o seu nome, graças ao marqueteiro Américo Vespúcio, por pouco não teria conseguido nem fazer a viagem.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Na natureza nada se perde, …

… nada se cria, tudo se transforma.

AnaxágorasAnaxágoras de Clazômenas
(filósofo grego)

 

Hahahaha, pensou que a ideia fosse de Lavoisier, né? Dele é a Lei de Conservação das Massas ou Lei de Lavoisier, que tem por princípio a frase aí em cima, cuja construção original é - se não me falham meus parcos conhecimentos de grego - “A quantidade de matéria de que se compõe o mundo é, pois, constante, quaisquer que sejam as suas transformações”.

Related Posts with Thumbnails