domingo, 30 de janeiro de 2011

Dicas para diminuir a sensação de calor

Sol

1) Sempre que for lavar as mãos molhe também os pulsos e vá molhando até a metade dos antebraços; deixe a água fria correr a vontade.

2) Evite falar sobre o calor; quanto mais a gente fala sobre isso mais ele nos incomoda.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Geoportal

Todo mundo conhece o Google Earth, aquele site no qual a gente pode ver fotos aéreas de praticamente qualquer lugar do mundo. As fotos são atualizadas com alguma frequência pelo pessoal do Google e é muito útil e divertido.

Esta semana me apresentaram ao site Geoportal. Funciona praticamente igual ao Google Earth, porém permite comparar a mesma imagem em 2008 e 1958, ou seja, há 50 anos. É diversão que não acaba mais.

Comecemos com uma visão do centro da cidade de São Paulo:

São Paulo 2008

São Paulo 1958

Dá para ver a Catedral da Sé à esquerda da foto e o Parque D. Pedro à direita. Note que a Av. 23 de Maio, mais à esquerda, e a radial Leste, mais abaixo, ainda não existiam.

Na próxima sequência temos o Estádio do Morumbi, ainda em construção, a 2 anos de sua inauguração em 1960. Foi construído praticamente no meio do nada, valorizou sobremaneira o bairro e serviu de atrativo para uma vizinhança do mais alto gabarito.

Morumbi 2008

Morumbi 1958

E, por último, o Aeroporto de Congonhas:

Congonhas 2008

Congonhas 1958

Tinha razão meu professor de Aeroportos quando disse que na época que Congonhas foi construído (década de 40), não havia sequer um galinheiro ao redor. Daí as pessoas foram achando bonito morar ao lado dele e hoje reclamam do barulho. Ele ficava muito puto, pois participou da construção e achava um absurdo o aeroporto não poder funcionar à noite.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Ambição

A ambição é o último refúgio dos fracassados.

Oscar Wilde

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Sono vetorial

image

O sono é uma delícia quando você está com deslocamento positivo no sentido banheiro-cama.

O sono no sentido contrário doi.

domingo, 23 de janeiro de 2011

O que é jazz?

“O jazz é uma música de dança dos negros americanos, estridente, decadente, sincopada e que provém da África”.
Anônimo - de um antigo dicionário

“O jazz é uma prática musical que nasceu nos Estados Unidos graças ao encontro do negro com a música europeia. (...) Três elementos básicos distinguem o jazz da música europeia: a relação especial com o sentido de tempo, conhecida por swing; a espontaneidade e a improvisação; e a individualidade do músico em ação.”
Joachim-Ernst Berendt – escritor e crítico musical

Snoopy jazz 02“O jazz não é o que você toca, mas a maneira como o toca.”
Fats Waller – pianista

“O jazz é a liberdade de possuir muitas formas.”
Duke Ellington – pianista

“O jazz é o que faz com que este século não soe como os outros.”
Dizzy Gillespie – trompetista

“Se você não o viveu, não adianta que ele não sairá de seu instrumento.”
Charlie Parker – saxofonista

“Jazz é uma palavra inventada pelos brancos.”
Miles Davis – trompetista

Fonte: História do Jazz – coletânea de artigos publicada pela Ed. Abril, em 1975.
Publicado originalmente no Musicólatras (clique aqui).

sábado, 22 de janeiro de 2011

Natal fora de época

Edison - 0119 Natal em janeiro

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Os melhores filmes de todos os tempos

Fazer uma lista dos melhores filmes de todos os tempos é uma tarefa difícil e de resultado sempre polêmico. O mesmo vale para as melhores músicas, os melhores discos, os melhores jogadores etc. Se você pedir para várias pessoas fazerem uma lista muitos itens coincidirão, mas no final cada um vai ter a sua. E quanto mais gente fizer a lista é mais provável que nenhum item será unânime. De qualquer forma, é sempre divertido ver as listas dos outros.

Mas o que tem de original nessa lista preparada por um tal de David Honnorat é a forma com que ele a montou, como um mapa de metrô (pelo menos me lembra aquele famoso mapa do metrô de Londres.) São 250 filmes mapeados conforme a opinião dele.

The Best Movies Of All Time Map

A cada cor corresponde um gênero de filme (comédia, ação, guerra etc.) Os cruzamentos indicam filmes que podem ser enquadrados em duas categorias diferentes. Clicando na figura acima você será direcionado a um site com a figura completa. Dá pra baixar a figura e imprimir se quiser.

Abaixo um detalhe do mapa, só para você se animar.

The Best Movies Of All Time Map

Ainda não tive tempo de conferir toda a lista dele com a minha, mas já notei que ele colocou apenas o 2º episódio de O Poderoso Chefão (The Godfather). Sacanagem. Os três episódios deveriam estar na lista, afinal são os três melhores filmes de todos os tempos. Não falei que cada um tem a sua lista?

E você, concorda com o mapa do David? O que está faltando? O que está a mais?


P.S. Obrigado pela dica, filha!

As mídias por que passei

Quando me dei por gente, lá pela década de 60, as músicas eram gravadas em LPs, ou long playings, também conhecidos atualmente por discos de vinil, bolachas e outros apelidos carinhosos. Naturalmente, os primeiros que ouvi eram os de meus pais que, felizmente, tinham bom gosto para música. Havia LPs principalmente de música clássica, crooners americanos, big bands e música brasileira – o termo MPB veio um pouco depois.

Vitrola

Os LPs eram colocados para tocar numa vitrola, onde rodavam a 33 e 1/3 rotações por minuto, e comportavam cerca de 12 músicas de 3 minutos cada. Eventualmente, os artistas lançavam compactos, discos menorzinhos com uma ou duas músicas de cada lado, o que chamamos hoje em português de singles.

Mídia compacto 2

Já existiam os gravadores de fita, é claro, mas eles não eram lá muito portáteis nem caseiros. Eram usados apenas em estúdios de gravação ou casas de geeks americanos. O primeiro gravador que tivemos, meu pai trouxe de uma viagem em 1965 aos EUA, mas era usado apenas para registrar vozes da família. O som dos LPs era muuuito melhor para música.

Mídia - Fita

A fita cassete apareceu um pouco depois. Na minha casa, por exemplo, só no início dos anos 70. Para todos os efeitos, o som era bem semelhante ao do LP, dependendo do equipamento de som. Nessa época surgiram também os proto-piratas, que copiavam os LPs em fita K-7 e os repassavam aos amigos. Muitos gravavam a programação das rádios (Difusora, Excelsior e outras), para poder ouvir as músicas da moda na hora em que quisessem (era o nosso download). Havia também os que vendiam esse material, utilizado principalmente para animar bailes de garagem.

Mídia K7 
Baseio-me apenas na memória e impressões pessoais para esse registro, posso estar enganado quanto a algumas datas, mas conhecia gente que já começava a ter em casa equipamentos quase profissionais, como gravadores de rolo e uma parafernália de amplificadores, equalizadores, caixas de som etc.

Voltando aos LPs, ao longo dos anos fui fazendo a minha própria coleção, torrando quase toda a minha mesada em lojas de discos. Só sei que quando foi lançado o CD, eu já tinha por volta de 800 discos em casa.

CD? Como assim? E meus LPs? Pensei na época: “ah, acho que não vou mudar, não, vou continuar com os LPs…” Mas eis que o mestre mercado começa a fazer desaparecer os LPs das lojas para dar lugar aos CDs.

Comprei um CD aqui outro ali, e fui percebendo que não havia alternativa a não ser render-me a eles. Mas o que fazer com os LPs? Ó, dilema! Passei a comprar em CDs o que eu gostava mais da minha coleção de LPs (confesso, tinha muita porcaria também), até que quase não os ouvia mais. Passei a ouvir somente os CDs. Esse processo levou perto de 10 anos para se concretizar.

CDs

Quando o som começou a ser digitalizado e colocado no computador, passei os LPs que eu considerava indispensáveis e sem correspondência em CDs para o novo formato e, num rompante, doei meus LPs para um amigo.

Sei o que vocês vão dizer: “O que? Não, você não fez isso!”

Pois é, eu fiz. E agora os LPs estão na moda novamente. Pelo que vi, estão vindo coloridos, iguais aos disquinhos com histórias infantis que eu tinha. Os puristas dizem que o som do LP é bem melhor que o dos CDs. Pode ser, mas eu mal percebo isso, talvez eu não tenha ouvido para tanto. Eu só sinto falta mesmo é das capas dos LPs, bem mais interessantes e informativas que as dos CDs. Alguns sentem falta do som dos chiados e riscos (!?), tem gosto pra tudo, mas, vamos combinar, se é para ser purista mesmo, então que lancem os LPs na cor preta, colorido não dá!

Toca-discos

Não sei o que vem pela frente, mas imagino que, uma vez que está tudo digitalizado, qualquer mídia que vier, se é que vai haver alguma, poderá ter seu conteúdo convertido menos traumaticamente. E pode tirar o cavalinho da chuva, meus CDs eu não vou dar não!

Para encerrar esse longo post (típico de quem está em férias), coloco uma tirinha que vi há muitos anos. Não me lembro quem é o autor (terá sido o Glauco?), mas como eu não tenho o original, redesenhei-a com o Stripgenerator:

Edison - Tiozinho

Publicado originalmente no Musicólatras (clique aqui)

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Coleção de notas

Se alguém tiver algum exemplar das notas velhas de R$ 50 e R$ 100, é favor me mandar para eu completar minha coleção de notas antigas.

Obrigado!

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Uma cerveja, rápido!

Edison - 0118 Uma cerveja, rápido!

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

3 anos!

Desde que me conheço por gente (um eufemismo para dizer "há muuuuito tempo atrás") existe um ditado que diz que todo homem ao longo de sua vida deve plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro. Claro, naqueles tempos politicamente incorretos ninguém se preocupou em incluir a mulher nessa frase, mas aplica-se igualmente.

Bolo 3 anos SítioBrincadeiras a parte, sempre entendi isso como um legado que se deixa no mundo. A árvore à natureza. O filho à preservação da espécie. E o livro à sua própria memória.

Plantar uma árvore é fácil. Já fiz isso algumas vezes, embora não tantas quanto gostaria. Ter filhos também já fiz e, por sinal, saíram no capricho. E o livro? Adoraria escrever um.

Matutei um bocado sobre esse assunto. Levei em conta o fato de absolutamente não ter assunto, nem habilidade, nem tempo, nem dinheiro para escrever um livro que justificasse meia dúzia de leitores. Eis que me deparei com essa grande invenção que é o blog, em que se pode colocar no “papel” qualquer besteira a custo zero ou, quando muito, com um pequeno prejuízo à reputação de quem escreve.

Então aí está, há exatos 3 anos completados hoje, inaugurei o Sítio do Junior, onde escrevi (quase) tudo que me vinha à cabeça, sem qualquer outra pretensão que a de deixar registrado a quem interessar possa o que eu penso e o que vejo. Escrevo para mim mesmo, porém, confesso, fico contente quando vejo que alguém mais gostou.

No mínimo valeu pelo monte de gente legal que conheci virtualmente. A vocês o meu carinho e agradecimento.

Leia mais algumas coisas sobre este blog nos links abaixo:

1º Post: Livre pensar é só pensar
2º Post: Autorreflexão
1º Aniversário: 1 ano de blog!
Hobby: Ho-bi

P.S. Na festa de quatro anos eu trago brigadeiros.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

domingo, 9 de janeiro de 2011

Um incrível trabalho em madeira

É simplesmente inacreditável a habilidade de certas pessoas.

Crédito: assisti a e este vídeo pela primeira vez no Blog do Cardoso, ao qual recomendo uma visita.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Tempo bom!

Dizia o cronista e humorista Leon Eliachar que o Meteorologista é o profissional que passa metade do programa nos contando o que vai acontecer amanhã com o tempo e a outra metade nos explicando porque não aconteceu o que ele disse ontem que ia acontecer hoje.

Pois bem, isso foi lá pela década de 60. Hoje em dia as coisas estão muito mudadas. A começar pelo gênero do apresentador. Agora temos as “Mulheres do Tempo”, em contraposição ao famoso “Homem do Tempo”, apelido de Narciso Vernizzi, que durante muitos anos dominou essa arte.

Ah, as Mulheres do Tempo… Por pior que seja a previsão, o tempo sempre fica mais bonito na voz e rosto de Cristina Lyra, Desirée Brandt, Flávia Freire, Michelle Loreto, Millena Machado, Rosana Jatobá, Ticiana Villas-Bôas, Flávia Noronha e por aí vai. Uma das vantagens, descobriram as emissoras, é que nem pensamos em contestá-las no dia seguinte.

E o pior é que algumas são realmente meteorologistas. Por isso, em minha próxima encarnação, se me for possível guardar algum plano até lá, cursararei uma faculdade de meteorologia.

Cristina LyraDesirée BrandtFlávia FreireMichelle LoretoMillena MachadoRosana JatobáTiciana Villas-BôasFlávia Noronha

P.S. As leitoras (todas as três) me perdoem mais esse lamentável momento de inspiração machista, por favor, obrigado. Beijos!

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

2011

JetsonsJá se passaram 4 dias de 2011 e nenhum post novo… deixa eu ver… ah, sim, me lembrei de uma coisa que eu queria dizer.

Quem fez as contas no post anterior sabe que eu nasci em 1957. Pois bem, acreditem, durante a minha infância o século XXI era uma coisa muuuito distante, coisa de ficção científica mesmo.

Pois não é que já gastamos 10% dele?

Related Posts with Thumbnails