quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Filhos longevos

Outro dia desses, conversando com um amigo, perguntei-lhe sobre os filhos.

- Filho é bom, mas dura muito!

- Como assim?

- Eles demoram cada vez mais para sair de casa…

Fiquei meio chocado de início, mas logo entendi como brincadeira pois, até onde eu sei, meu amigo gosta dos seus filhos. Ele me esclareceu que ambos os filhos são bem crescidinhos, formados (só um trabalha), mas ambos continuam acastelados na sua casa. Bom, pelo menos eu acho que era brincadeira dele.

Na verdade, é um fenômeno que vem sendo cada vez mais comum os filhos demorarem mais a sair de casa. Procuram firmar-se em algum emprego, sem pressa de abandonar o conforto do lar paterno e/ou materno e só saem se for pra juntar com alguém. Antigamente era bem diferente (meus deuses, que papo de velho). Mal o/a jovem começava a trabalhar e já pensava em ter um lugar só seu – geralmente se esquecia de que tinha que arrumar a cama, lavar as roupas, limpar a casa, fazer comida, pagar as contas etc., tudo sozinho. Certo mesmo estão os de hoje.

Por coincidência, no mesmo dia em que travamos esse breve diálogo, li no site da BBC (clique aqui se quiser ler na íntegra) uma reportagem sobre um casal italiano que entrou com uma ação de despejo contra seu filho de 41 anos. Segundo eles alegam, o filho não tem qualquer intenção de sair de casa e tem se tornado agressivo sobre o assunto. Ainda segundo a reportagem, 7 em cada 10 italianos entre 18 e 39 anos ainda vivem com a família. Mas, convenhamos, 41 anos é um exagero, né não?

Na mesma hora mandei um e-mail para o meu amigo com o link da reportagem, e ele me respondeu:

- Quem sabe essa é a solução.


P.S. De minha parte, não tenho pressa nenhuma em que meus filhos saiam de casa.

4 comentários:

Emmanuella disse...

Pois então, o seu p.s. resume o que eu ia comentar. Eu já sou formada e minha irmã se forma no fim do ano, mas meus pais não querem nem pensar na gente fora de casa e são eles quem são agressivos sobre o assunto!

mara* disse...

Nos EUA, assim que o pimpolho(a) completa 18 anos é convidado(a) pelos pais a sair de casa, ser independente. Uma amiga que para lá se foi, achou, em princípio, uma desumanidade, com o tempo achou perfeito.

Laila disse...

Acho que isso é mais de uma mudança de postura da família. O filho não sai de casa porque é cômodo ter alguém que pague as contas de luz, de água, que faça comida, que estenda a roupa no varal, etc. Os pais estão muito liberais: o filho pode receber a namorada em casa, pode voltar a hora que quer, e os pais muitas vezes não cobram que o filho ajude no serviço de casa. Não tem mais aquele anseio de liberdade. Parece, inclusive, que os pais fazem de tudo pra não parecer que estão "afugentando" o filho. Então, marmanjo de 30 anos fica morando com os pais, afinal, tem o melhor dos dois mundos.

Anônimo disse...

Entendo que estes jovens “adultos” precisam sair de casa, para crescerem como pessoas independentes e tornarem-se efetivamente adultos por completo.

Por mais que gostemos que eles estejam sob “nossas asas”. A casa dos pais é uma zona de conforto que vicia e distorce a visão que os jovens têm do que seja realmente a vida adulta.

Eles precisam voar sozinhos...

Ademir

Related Posts with Thumbnails