segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Porque hoje existem tantos divórcios

Essa aqui também recebi por e-mail. É um apanhado de conselhos práticos dados às moças pelas revistas femininas nas décadas de 50 e 60, quando havia bem menos divórcios e separações.


Jornal das moças 1 “Não se deve irritar o homem com ciúmes e dúvidas".
(Jornal das Moças, 1957)

"Se desconfiar de infidelidade do marido, a esposa deve redobrar os carinhos e provas de afecto, sem questioná-lo nunca".
(Revista Claudia, 1962)

Cláudia 1“Desordem na casa de banho, desperta no marido vontade de ir tomar banho fora de casa".
(Jornal das Moças, 1965)

"A mulher deve fazer o marido descansar nas horas vagas, servindo-lhe uma cerveja bem gelada. Nada de incomodá-lo com serviços ou notícias domésticas".
(Jornal das Moças, 1959)

Querida "Se o seu marido fuma, não discuta pelo simples facto de deixar cair cinza no tapete. Espalhe cinzeiros por toda a casa".
(Jornal das Moças, 1957)

"O noivado longo é um perigo, mas nunca sugira o matrimónio. ELE é quem decide - sempre".
(Revista Querida, 1953)

Jornal das moças 2 "Sempre que o marido sair com os amigos e chegar a altas horas da noite, espere-o linda, perfumada e dócil".
(Jornal das Moças, 1958)

"É fundamental manter sempre uma aparência impecável diante do marido".
(Jornal das Moças, 1957)

"A esposa deve vestir-se depois de casada, com a mesma elegância de solteira, pois é preciso lembrar-se de que a caça já foi feita, mas é preciso mantê-la bem presa."
(Jornal das Moças, 1955)

"O lugar de mulher é no lar. O trabalho fora de casa masculiniza".
(Revista Querida, 1955)

 
Bom, quanto a mim, estou casado há mais de 25 anos sem que minha esposa tenha seguido qualquer um dos conselhos acima. Não sei se as frases são verídicas, provavelmente sim, mas com esses preceitos o meu casamento provavelmente não teria durado tanto. Sei lá, coisas da cultura de cada época.

Um comentário:

Marília disse...

Essas frases são verídicas sim!
Sou testemunha desta história!

Related Posts with Thumbnails