sábado, 31 de outubro de 2009

Cantando com Frank

Quem me conhece, sabe que eu sempre tive dificuldade de falar em público, principalmente se não tenho intimidade com as pessoas da plateia, e só o faço em caso de extrema necessidade. Mesmo se domino o assunto sobre o qual vou falar, é batata: as mãos umedecem, a garganta seca, as pernas tremem, a voz idem.

Por isso, sempre procuro me espelhar em grandes apresentações que assisto. Um dia, um amigo meu, o Cylon, fez uma dessas. Perguntei então a ele como era sua preparação para uma palestra, sem contar o conteúdo técnico da mesma, claro.

Ele então me passou um segredo (coisa de amigo, mesmo), que ele ouviu de um outro amigo: toda vez que ele sai de casa para falar para algum público, ele coloca um CD do Frank Sinatra e vai cantando pelo caminho. Isso mesmo, Old Blue Eyes, com sua forma peculiar de colocar a voz (que voz!) e mudar o andamento no meio de uma frase, adiantando-se a atrasando-se sutilmente, é a melhor forma de treinar para impostar melhor nossa própria voz.

Numa dessas raras vezes em que não consegui fugir de apresentar um trabalho, não tive dúvidas, logo após desconsiderar a ideia de pular de um viaduto, peguei um CD do Frank, desses tipo bost of, e saí cantando pelo caminho:

Start spreadind the news, I’m leaving today... When somebody loves you it’s no good unless she loves you all the way… Strangers in the night, to lonely people we are strangers in the night... And then I go and spoil it all by saying something stupid like I love you... Don't you know you fool, you never can win, use your mentality, wake up to reality... What is a man, what has he got, if not himself, than he has not to say things he trully feels and not the words of one who kneels!   

E fui soltando a voz pelo caminho, cantando alto, quase tão afinado quanto ele (ahahaha). Me empolguei tanto que quase perdi a voz. Ela ficou mais grave, talvez até mais bonita, mas minha garganta começou a raspar e quase travou. Falar naquele dia foi um suplício, mas a apresentação foi um relativo sucesso. E no fim algumas pessoas ainda me elogiaram por ter participado, mesmo estando quase rouco.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

A Globo quer o fim dos pontos corridos…

…na Fórmula 1.

DIRETO DA SUCURSAL DA JUNIORNEWS NO RIO: A Vênus Platinada vai iniciar uma pressão junto à FIA - Federação Internacional de Automobilismo - pelo fim dos pontos corridos na Fórmula 1.

O argumento principal baseia-se na chatice que será a próxima prova, pois o campeão já está definido e a equipe campeã também. Eles temem a fuga da audiência no domingo pela manhã e já consideram a possibilidade de transmitir mais um daqueles grandes desafios de futebol de areia ao invés da corrida.

A proposta que a emissora apresentará à FIA para o próximo campeonato, é fazer uma etapa inicial com 10 corridas, ao cabo das quais os 8 melhores colocados se classificariam para 2 provas de desempate. Em caso de novo empate, uma terceira prova seria realizada.

A nova fórmula, com o perdão do trocadilho, será conhecida como o Mata-Mata da Fórmula 1, mas não deve ser confundida com a manobra do Nelsinho Piquezinho, na prova da Malásia do ano passado.

Segundo um diretor de alto coturno da emissora, que não quis se identificar, "corridos na Fórmula 1 quem têm que ser são os pilotos, não os pontos".

(brincadeirinha…)

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Ho-bi

Conversando sobre hobbies com um conhecido, disse a ele que o meu era manter esse sítio.

- Blog? Mas isso não é hobby, isso é coisa de viciado em internet!

Tive que explicar a ele a origem da palavra hobby: em javanês, “ho-bi” quer dizer “cu”. E cu, como sabemos, cada um tem o seu. Assim como um hobby. Os primeiros navegantes ingleses que aportaram àquela aprazível ilha encantaram-se com o ho-bi local, garfaram o som da palavra e grafaram-na em inglês.

E, para ser bem didático, completei: fukiu ho-bi! Que em javanês arcaico quer dizer…

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Arbeit macht frei

“O trabalho liberta”

Essa é a tradução da frase do título deste post, que encimava os portões de entrada dos campos de concentração da Alemanha nazista.

Arbeit macht frei

Mas essa frase também é o slogan, pra lá de infeliz, de um projeto do Governo da Paraíba, cujo objetivo é a humanização do sistema penitenciário do estado.

Pelo que li brevemente do projeto paraibano, pelo menos sua finalidade é totalmente contrária à de Hitler e seus asseclas. Por isso mesmo, será que não tinha outro nome pra escolher?

(obs: vi essa notícia primeiro no blog Contraditorium – eu já tinha até postado aqui como dica, mas acho que vale um reforço mais explícito)

domingo, 25 de outubro de 2009

Garis com PHD

Gari A cidade do Rio de Janeiro promove um concurso para contratação de 1.400 garis, no qual inscreveram-se 45 candidatos com doutorado, 22 com mestrado, 1.026 com nível superior completo e 3.180 com superior incompleto.

A reportagem não deixa claro se são doutores em limpeza pública, projeto de vassouras, gerenciamento de coleta seletiva ou logística de caçambas, mas muito provavelmente não.

Num país tão carente de educação, isso é um inaceitável e absurdo desperdício de recursos, além de tirar oportunidades de emprego de gente com menos escolaridade.

Digo isso sem qualquer viés de discriminação, mas porque é financeiramente ilógico investir tempo e dinheiro para obtenção de um doutorado para ganhar um salário de apenas R$ 486,10, sendo que nada se aproveitará para o desempenho da função.

Ou então o doutorado e a formação foram de tal forma mal feitos, que não serviram para arrumar um emprego compatível.

Em ambas as alternativas a sociedade perde.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Pinguim gigante

Edison - Pinguim atropelado

Viagra falso

Apreendido em uma farmácia em Bragança Paulista um lote de viagras falsos.

Aí eu me pergunto: viagras falsos provocam falsas ereções?

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Distração

Edison - Guarda atropelado

Piadinha desenhada de memória de um antigo programa do Chico Anysio.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Salto alto pode facilitar orgasmos

A urologista da Universidade de Verona, Maria Cerruto, acompanhou 66 mulheres com menos de 50 anos durante dois anos para entender como diferentes partes do corpo se relacionam com a região pélvica. Todos os testes foram efetuados com as mulheres em pé e paradas. A cientista observou que quando as mulheres ficavam em um plano inclinado que oscilava e variava de inclinação, simulando o uso de um salto alto, havia reflexos de diferentes tipos na área da pélvis.

A pesquisa descobriu que usar salto alto pode relaxar os músculos da pélvis, levando a melhores contrações. A musculatura pélvica é conhecida também como "músculos do prazer" porque possui relação direta com o orgasmo. O ideal é que a inclinação do pé em relação ao piso seja de 15 graus, que resulta em bem-estar do pavimento pélvico e o da paciente como um todo.

E pensar que os saltos-altos já foram relacionados com problemas de postura, calos e até esquizofrenia.

Fonte: BBC News

P.S. do Junior: nós homens bem que desconfiávamos de que tinha que haver um bom motivo para alguém ficar se equilibrando o dia inteiro em algo tão desconfortável.

domingo, 18 de outubro de 2009

Dicas de leitura 18/10/2009

Blogs:
Travessia do Iatã: Folheando
Contraditorium: O garoto que domou o vento

Humor:
Screentiras: Se arrependimento matasse
Tirinhas do Zé: Homenagem ao Dia do Médico – Dr. Roberval

Site:
São Paulo Abandonada: São Paulo Abandonada

Esporte
:
Estadão: Copa e Olimpíada vão exigir mais do que o governo investiu em 7 anos

sábado, 17 de outubro de 2009

The Fun Theory

Propaganda maneira da Volkswagen. Um jeito legal de convencer as pessoas a agir de forma diferente da usual.

Usar a escada normal ao invés da escada rolante:


Jogar o lixo no lixo.

Enfim, juntos!

Depois da tomate fêmea descoberto por esse blog, achamos agora o par perfeito para ela, o tomate macho!


2009-10-17 Tomate macho 1  2009-09-19 - Tomate fêmea modificado

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Michê garantido

Com a chegada do chamado circo da Fórmula 1 a São Paulo nesta semana, deve estar um verdadeiro inferno achar lugar num puteiro decente. De luxo, quero dizer…

Todo ano é assim, chegam os pilotos, os mecânicos, a imprensa, torcedores etc., e conhecidas casas de tolerância (não, não se trata do nosso Senado) ficam abarrotadas.

Mas, para que ninguém fique na mão (ops), há sempre uma opção. Como as que são apregoadas em diversos orelhões da cidade.

Orelhao

Em tempo, este blog não recebe nenhuma participação das empresárias acima.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Briga de casal 8: A Nojentinha

Edison - Nojentinha

Piadinha desenhada.

Blog Action Day

A organização Blog Action Day organiza um evento anual, sempre a 15 de outubro, em que todos os blogs que se interessarem participam, com o objetivo de chamar a atenção para algum problema de alcance global. Neste ano, o tema é Mudanças Climáticas.

O Sítio do Junior e o próprio apoiam esta causa.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Campanha Saco é um saco

Saco é um saco
Mais neste blog sobre o assunto sacolas plásticas:
Reconsiderações
Taí!
Na ponta do lápis

É isso aí! No dia 15, não use o saco (plástico)!

Em tempo, dia 15 é o dia do Blog Action Day!

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Manoel na sapataria

Edison - Portuga - Na sapataria

Piadinha desenhada.

domingo, 11 de outubro de 2009

Dicas de leitura 11/10/2009

Blogs:
Contraditorium: Paraíba judia da história
Vocacional: Breve História do Serviço de Ensino Vocacional

Humor
:
Um sábado qualquer:
Tirinhas do Zé: Bar do Jimmy
Euricéfalo: Dr. Placebo

sábado, 10 de outubro de 2009

Acidente de trânsito

Edison - Portuga - Boletim de Ocorrência

Piadinha desenhada.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Julinho da Adelaide

Em maio de 1995, a Rádio USP FM apresentou uma entrevista com Julinho da Adelaide, compositor de músicas como Acorda Amor (“chama o ladrão”) e Jorge Maravilha (“você não gosta de mim, mas sua filha gosta”). Essa entrevista foi ao ar no programa Memória, apresentado por Milton Parron, e eu tive a boa ideia de gravar em fita cassete.

Julinho da Adelaide era o pseudônimo utilizado por Chico Buarque no início dos anos 70, quando a censura tava brava pro lado dele. Na verdade, tava brava pro lado de todo mundo, mas a partir de um certo momento, a censura passou a podar simplesmente todas as músicas do Chico, e Julinho da Adelaide foi a figura que ele criou para burlar essa perseguição. Passou ileso pela censura com músicas que jamais passariam sob o nome de Chico Buarque e ainda por cima deu uma bela gozada da cara dos censores.

julinho-da-adelaide1Essa entrevista gravada em 1974, foi feita por Mário Prata e Melchiades Cunha Junior, e publicada no jornal Última Hora, em São Paulo. Óbvio, o áudio não foi divulgado na época, mas mesmo assim, pouco tempo depois, desvendou-se a identidade de Julinho e a brincadeira acabou.

Minhas fitas estavam bem guardadas com uma grande amiga e agora as digitalizei. Retirei boa parte dos comentários iniciais e finais do Parron, o que é uma pena, pois são muito interessantes, porém encompridava demais, e mantive apenas os comentários que ele fez no meio da entrevista e as músicas.

A duração total é de quase 1 hora, mas vale a pena. A entrevista é muito engraçada e é um retrato colorido de tempos em branco e preto.

Se preferir a transcrição da entrevista na íntegra, clique aqui

Para conhecer ou lembrar.


Parte 1


Parte 2


Parte 3


Parte 4
: Essa última foi com o Chico mesmo, 18 anos depois, falando sobre o Julinho da Adelaide.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Briga de casal 7: Diálogos caseiros

Edison - Diálogos caseiros

Piadinha desenhada.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Atendimento Speedy nota 10

Vocês podem não acreditar, pois só o que se ouve é reclamação dos clientes. Talvez porque as pessoas satisfeitas não botem a boca no trombone, só as insatisfeitas, porém dessa vez eu fiquei muito contente com um serviço recebido e boto a boca nesse meu trombone(zinho).

Depois de várias tentativas por telefone de resolver um problema da minha conexão com a internet, quer dizer, resolver até resolvia, mas o problema voltava depois de um tempo, solicitei a presença de um técnico e hoje o dito cujo, Rodnei, esteve aqui.

Atendimento nota 10. Mesmo com o modem funcionando na hora em que ele chegou (Ley de Murphy aplicada à assistência técnica: o problema sempre desaparece quando o técnico aparece), examinou, trocou o modem, testou etc.

Bom, vocês vão me dizer que isso é o mínimo que se deveria esperar de um serviço normal e talvez seja, mas o que me impressionou realmente foi a postura dele em relação à solução de meu problema e a preocupação com a satisfação do cliente.

Como nem tudo é perfeito, tentei achar no site da Telefônica um cantinho onde eu pudesse expressar a minha satisfação com o atendimento, mas o link estava quebrado. Então fica aqui o registro.

domingo, 4 de outubro de 2009

Mercedes Sosa, a voz da América Latina se calou


Grato à Vida por Mercedes Sosa (9/7/1935 – 4/10/2009).

Dicas de leitura 04/10/09

Blogs:
Fernando: Não, nós não podemos!
Futepoca: Me dá a penúltima

Humor:
Um sábado qualquer: O fruto proibido – 8
Tironas: Momento rage
Tirinhas do Zé: Bar do Jimmy

Esportes:
Blog do Quartarollo: Consultem o Aurélio

Sites:
Stephen Kanitz: Alerta aos Médicos e à População

sábado, 3 de outubro de 2009

Terceirização

No princípio era a faxineira. Depois o guarda. Depois o pessoal da cozinha. Daí pegou o da manutenção, avançou pela engenharia, vendas, legal etc. É a terceirização lançando seus tentáculos por toda parte. Daqui a pouco só sobrará o cara que cola o emblema da empresa no produto. E olhe lá, que isso também é perfeitamente terceirizável.

Paga-se caro a uma empresa prestadora dos serviços, a qual coloca seus próprios empregados trabalhando dentro da empresa contratante, como se dela fossem empregados, porém ganhando menos do que se realmente o fossem. Não tente entender a lógica, é puro malabarismo contábil, não é para simples mortais.

Dilbert - Reuniões improdutivas

Ah, o Dilbert, sempre me valho dele nessas horas!

Muitas vezes o empregado que trabalha como terceirizado é um ex-funcionário da própria empresa contratante, que o dispensou por aposentadoria ou qualquer outro motivo não desabonador. Geralmente esse camarada conhece muito mais o serviço que seus próprios chefes.

Ontem mesmo um colega meu, aposentado por uma grande multinacional, me contou que foi contratado por uma pequena empresa para tocar um projeto de instalação muito difícil. Junto com ele havia outros empregados na mesma situação. Os chefetes todos eram jovens brilhantes, cheios de inglês, mba e informática.

Numa comemoração de final de ano, meu amigo, um pouco mais bêbado que o normal, virou-se para o dono da empresa e falou:

- Sabe, acho que a nossa empresa está cometendo um erro estratégico…

- Ah, sim? Perguntou o dono interessado.

- Sim, você está combinando a experiência dos mais jovens com a força dos mais velhos.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Viva Rio 2016!

Estou no time dos mal-humorados que é contra trazer os Jogos Olímpicos para o Brasil.

Adoro Jogos Olímpicos e adoro a cidade do Rio de Janeiro, mas o medo da bandalheira que vão fazer com o dinheiro público, o meu dinheiro, primeiro por causa da Copa, e agora por causa das Olimpíadas, não é apenas uma paranoia. É um fato real. Não tenho nenhuma dúvida de que isso vai acontecer em larguíssima escala. Para se ter uma ideia, só na campanha pela eleição foram gastos R$ 100 milhões.

Bom, agora já foi. Agora é torcer para que metam a mão no nosso bolso de forma minimamente discreta. Torcer para que a imprensa fiscalize e denuncie, pelo menos para manter os larápios de plantão sob tensão. Torcer para que os investimentos em esportes no Brasil se deem na formação não apenas de atletas, mas de melhores cidadãos, e que tenha efeito duradouro. Torcer para que os investimentos em infraestrutura no Rio sirvam para melhorar a qualidade de vida de sua sofrida, porém alegre população, e não fiquem ao abandono após os Jogos.

E torcer para que seja uma grande Olimpíada, mas isso eu tenho certeza absoluta de que será. Se alguma cidade brasileira tem que ser escolhida para sede de alguma coisa importante em termos turísticos, sem dúvida nenhuma, essa cidade é o Rio.

Agora que já está, viva! Viva Rio 2016!

Edison - Rio 2016

O cafa…

Berlusconi e Michelle com diálogo

Related Posts with Thumbnails