sexta-feira, 31 de julho de 2009

O psiquiatra

Essa tirinha foi feita sobre uma velha piada apenas para testar uma nova ferramenta (www.bitstrips.com) de desenhar tirinhas:

Edison - O psiquiatra 1

A Dieta do Engenheiro

Como vocês devem ter notado, o mostrador do arrobômetro aí ao lado recuou um pouco.

Ham, ham…

Seria muito fácil para mim colocar a culpa no meu baleado joelho, que me impediu de andar o tanto quanto eu gostaria.

Também não vou responsabilizar a Dieta do Engenheiro, recebida por e-mail de um colega de agruras, a qual reproduzo na íntegra:


Dieta do Engenheiro

Já que NINGUÉM segue a dieta da Nutricionista, fiquem com a do Engenheiro! Eu sempre repito que os engenheiros são objetivos e brilhantes.

Pelas leis da termodinâmica, todos nós sabemos que uma caloria é a energia necessária para aquecer 1g de água de 21,5ºC para 22,5ºC. Não é necessário ser nenhum gênio para calcular que, se o ser humano beber um copo de água gelada (200ml ou 200g), aproximadamente a 0°C , necessita de 200 calorias para aquecer em 1°C esta água. Para haver o equilíbrio térmico com a temperatura corporal, são necessárias então aproximadamente 7.400 calorias para que estes 200g de água alcancem os 37ºC da temperatura corporal (200 g X 37ºC ). E, para manter esta temperatura, o corpo usa a única fonte de energia disponível: a gordura corporal. Ou seja, ele precisa queimar gorduras para manter a temperatura corporal estável.

A termodinâmica não nos deixa mentir sobre esta dedução. Assim, se uma pessoa beber um copo grande de aproximadamente 400ml, na temperatura de 0ºC de cerveja, ela perde aproximadamente 14.800 calorias (400g x 37ºC). Agora, não vamos esquecer de descontar as calorias da cerveja, aproximadamente 800 calorias para 400g.

Passando a régua, tem-se que uma pessoa perde aproximadamente 14.000 calorias com a ingestão de um copo de cerveja gelado. Obviamente quanto mais gelada for a cerveja maior será a perda destas calorias.

Como deve estar claro a todos, isto é muito mais efetivo do que, por exemplo, andar de bicicleta ou correr, nos quais são queimadas apenas 1.000 calorias por hora. Amigos, emagrecer é muito simples, basta beber cerveja bem gelada, em grandes quantidades e deixarmos a termodinâmica cuidar do resto.

Saúde a todos!
Já pro boteco... malhar!!!


O raciocínio do engenheiro que elaborou isso está até correto, mas a dieta contém um erro de unidades crucial que, felizmente, notei a tempo e me impediu de colher resultados ainda mais catastróficos. É por isso que caem algumas estruturas aqui e acolá.

O erro está no seguinte, podem ir conferir na embalagem dos alimentos, a quantidade de calorias que elas informam trata-se, na verdade, de kilocalorias, ou seja, 400 gramas de cerveja contêm, de fato, 800.000 calorias!

Quod erat demonstrandum.

Não sei se é um caso a ser levado a conhecimento do CREA ou do CRN.

Concluindo, e retomando o assunto inicial, a culpa pelo recuo do arrobômetro é única e exclusivamente minha e das minhas (merecidas) férias. Comi bem. E coisas muito gostosas. Doces, chocolates, frituras, pizzas, pastéis, vinho, cachaça… e umas porcarias como verduras e legumes.

Férias é bom, né? E o preju não é só no bolso, é na barriga também. Mas, tudo bem, ainda tenho 5 meses para cumprir meu objetivo.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Take Five – 50 anos!

Capa Time OutO álbum Take Five, do quarteto de Dave Brubeck, completa 50 anos em 2009. Um clássico do jazz, teve a ousadia de gravar músicas em um tempo diferente do tradicional 4/4. É um dos LPs que eu ouvi até furar.

A música que batizou o álbum, uma composição em 5/4 do saxofonista Paul Desmond, é um desafio tanto para os músicos quanto para os ouvintes. Quem não se atrapalha marcando o ritmo nas primeiras audições? Apesar disso, a música tem muito swing, o que surpreendeu até o próprio compositor, segundo informações da capa do disco.

O quarteto era composto por Dave Brubeck (piano), Paul Desmond (sax alto), Joe Morello (bateria) e Eugene Wright (baixo).

Delicie-se com Take Five:

Dois anos depois, o grupo lançou o álbum Time Further Out, que manteve a proposta de gravar em tempos não usuais. Neste, eles passeiam desde o 3/4 até o 9/8, uma coisa esquisitíssima, mas deliciosa de se ouvir. Eu, que nada sei sobre teoria musical, aprendi muito com esses álbuns.

Se você não conhece, ouça a música Unsquare Dance, em 7/4. Repare na gargalhada do baterista Joe Morello ao final da música, divertida e aliviada. É mais ou menos como a gente se sente ao ouvir.

Parabéns, Take Five!

domingo, 26 de julho de 2009

“O brasileiro é um povo com os pés no chão. E as mãos também.”

Ouvi essa frase de Ivan Lessa em uma entrevista do Ruy Castro à rádio CBN. Para quem tiver paciência, o programa completo pode ser ouvido aqui – a entrevista está no final. O mais engraçado é que o que ele fala é bem diferente do tom exotérico do programa.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Ah! Férias!

Um dia de férias é sempre um dia de férias. Mesmo com chuva.

Diego Stocco – A música de uma árvore

Criatividade é isso aí.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Tava na hora?

Ela perdeu o voo 477 da Air France, que deixou dezenas de mortos quando caiu no Oceano Atlântico. Na semana seguinte, ela morreu em um acidente automobílistico na Alemanha.

Ele acabou de sobreviver a um acidente na BR-101, em Santa Catarina. Ainda durante os trabalhos de resgate, enquanto um repórter o entrevista entre os veículos destroçados e o tráfego normal da estrada, um caminhão perde a direção e o atropela, matando-o na hora.

Nesses momentos é comum a gente ouvir que “tava na hora dele(a) morrer mesmo, quando a Hora chega não tem jeito”. É realmente tentador e confortante pensar assim. Esse fatalismo sobrenatural nos desobriga de pensar na nossa capacidade de interferir em nosso próprio destino.

Se esse determinismo da hora da morte existe, é porque algo superior a nós tem esse controle.

Parto do princípio de que os agnósticos não acreditam nisso.

Aos que atribuem a Deus a programação da nossa morte, atribui também a Ele a possibilidade de erro na lista de embarque para o céu. Por definição, uma falha de Deus é impossível.

Ah, como somos contraditórios os seres humanos… Será que pensamos e agimos assim em todas as circunstâncias?

Quem acredita tanto nessa verdade que deixa de ir a um médico tratar de sua saúde?

A que devemos o aumento geral da espectativa de vida ao longo das últimas décadas? À Medicina ou à uma reprogramação divina?

Geralmente a explicação mais fácil é a mais adequada. No primeiro caso, o que matou a garota, foi só a estatística. No segundo caso, foi a imprudência mesmo.

domingo, 19 de julho de 2009

Tirinhas do Euricéfalo

Tenho me divertindo muito desenhando as tirinhas que coloco aqui no meu sítio e nas colaborações avulsas no blog da Debatecast Tricolor. Com certeza me divirto muito mais fazendo do que as pessoas lendo, mas vá lá, são os ossos do ofício.

Mas o que é mais interessante nisso tudo, é que descobri que existe um monte de cartunistas amadores pelos blogs da vida, do mesmo nível dos profissionais ou até melhores que estes, alguns dos quais acompanho fielmente – vide lista ao lado.

Um deles é o Tiras do Euricéfalo. Com um traço simples porém preciso, o Euricéfalo desenha seus personagens com muita expressividade e sempre me proporciona pelo menos um sorriso, quando não uma boa risada com as situações criadas, como nas tiras abaixo:

Edison - Tira do Euricefalo 0423 
Edison - Tira do Euricefalo 0424

Nota importante: ele tem tirinhas bem melhores do que estas, como pode ser conferido em seu blog, mas coloquei as duas por um motivo especial, elas fazem parte de uma série sobre trotes telefônicos, na qual ele pediu a colaboração de seus leitores. Essas daí, embora não sejam ideias totalmente originais, foram as minhas contribuições.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Pancadão do Sarney

Depois de alterar o nome de seu grande best seller “Marimbondos de Fogo” para “Moribundos de Fogo” (José Simão), Sarney agora ataca de funkeiro:

Após terminar de cantar, ele cancelou todos os atos secretos que ninguém sabia o que eram.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Alarme inteligente, dono…

Edison - Alarme

Sempre que eu ouço esse alarme de carro alarmando é porque o dono fez alguma cagada…

terça-feira, 14 de julho de 2009

Manuais…

Tenho ojeriza (sempre quis escrever essa palavra, mas tive que consultar o dicionário) a manuais. O mesmo se aplica aos “helps” de programas de computador. Só os utilizo em desespero de causa e geralmente com resultados frustrantes. É sempre melhor fuçar e aprender por conta própria.

Manuais me dão a impressão que, terminado o desenvolvimento do produto, alguém se lembra de que tem que elaborar um manual e, como os especialistas já estão envolvidos em outro projeto, chamam o primeiro estagiário que por ali passa e o encarregam da tarefa. E rápido, porque o lançamento não pode atrasar!

Daí que um texto é escrito por uma pessoa que pouco entende do produto para ser lido por outra que entende menos ainda.

Isso quando o manual não é apenas uma, ainda por cima, má tradução, como essa pérola incrível que recebi com um aparelho de MP4 recentemente adquirido. Se alguém entender alguma coisa, me ligue, por favor.

Manual MP4

terça-feira, 7 de julho de 2009

Ué, não entendeu o texto que acompanha o livrinho infantil?

‘Ora, meu amigo, não há pobrema’, como dizia a Rádio Emissora de Camanducaia.

Recebi um e-mail hoje com a solução, um guia rápido para a língua alemã, cujo autor desconheço, mas reproduzo na íntegra. Assim, você poderá ler facilmemte o livrinho do post anterior, caso as figuras não tenham sido muito claras.


Aprendendo Alemão

A língua alemã é relativamente fácil.

Todos aqueles que conhecem as línguas derivadas do latim e estão habituados a conjugar alguns verbos podem aprendê-la rapidamente. Isso é o que dizem os professores de alemão logo na primeira lição.

Para ilustrar como é simples, vamos estudar um exemplo:

Primeiro, pegamos um livro em alemão, neste caso, um magnífico volume, com capa dura, publicado em Dortmund, e que trata dos usos e costumes dos índios australianos Hotentotes (em alemão, Hottentotten).

Conta o livro que os cangurus (Beutelratten) são capturados e colocados em jaulas (Kotter) cobertas com uma tela (Lattengitter) para protegê-los das intempéries.

Estas jaulas, em alemão, chamam-se jaulas cobertas com tela (Lattengitterkotter) e, quando abrigam um canguru, chamamos ao conjunto de “jaula coberta de tela com canguru (Lattengitterkotterbeutelratten).

Um dia, os Hotentotes prendem um assassino (Attentäter), acusado de haver matado uma mãe (Mutter) hotentote (Hottentottenmutter), mãe de um garoto surdo e mudo (Stottertrottel).

Esta mulher, em alemão, chama-se Hottentottenstottertrottelmutter e a seu assassino chamamos, facilmente, de: Hottentottenstottertrottelmutterattentäter.

No livro, os índios o capturam e, sem ter onde colocá-lo, põem-no numa jaula de canguru (Beutelrattenlattengitterkotter).

Mas o preso escapa.

Após iniciarem uma busca, chega um guerreiro hotentote gritando:

- Capturamos o assassino (Attentäter)!

- Qual Attentäter? – pergunta o chefe indígena.

- O Lattengitterkotterbeutelrattenattentäter, comenta o guerreiro, a duras penas

- Como ? O assassino que estava na jaula de cangurus coberta de tela ? – pergunta o chefe.

- Sim, é o Hottentottenstottertrottelmutteratentäter (assassino da mãe do garoto surdo-mudo da tribo)

- Ah, diz o chefe, você poderia ter dito desde o início que havia capturado o Hottentottenstottertrottelmutterlattengitterkotterbeutelrattenattentäter.


Viu? A língua alemã é lógica e muito simples, agora é só colocar mãos à obra e aprender o resto, da mesma forma que você fez com o idioma Chinês, que também teve a chance de conhecer aqui neste blog.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Ah, a famosa objetividade alemã!

Sabe aquela piada em que a criança pergunta pro pai de onde ela vem e o pai responde tudo, desde o dia em que conheceu a mãe, o casamento, a fertilização, o nascimento etc. até que a criança interrompe e fala: “mas pai, eu só queria saber de onde eu vim, porque o Marcinho é de Botucatu e eu não sei de onde eu sou!”?

Pois bem, para ajudar os pais nessa hora difícil os sempre objetivos alemães têm um livrinho que é tiro e queda. Não deixa qualquer rastro de dúvida, nem precisa traduzir. Esse o MEC aprova!

01.jpg

02.jpg

03.jpg

04.jpg

05.jpg

06.jpg

07.jpg

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Enquanto isso, no Senado…

Edison - No Senado

Related Posts with Thumbnails