quarta-feira, 29 de abril de 2009

Homens-poetas

Eu tive um professor de Literatura no Colégio que gostava de pegar exemplos na classe para demonstrar seus pontos de vista.

Numa dessas aulas ele exemplificava como em diversas épocas os escritores e poetas se referiam à mulher. John Donne, um clérigo que viveu entre 1572 e 1631, retrata em seu poema “Elegia: indo para a cama”, a associação frequente do Novo Mundo com a mulher desejada:

Deixa que minha mão errante adentre
Atrás, na frente, em cima em baixo, entre.
Minha América! Minha terra à vista,
Reino de paz, se um homem só a conquista,
Minha Mina preciosa, meu Império,
Feliz de quem penetre o teu mistério!
Liberto-me ficando teu escravo;
Onde cai minha mão, meu selo gravo.

Nessa altura o professor chamou um colega nosso, o Luiz, e disse:

- Notou, Luiz, como ele se referiu à moça? Como “América”! Virgem, desnuda, objeto de desejo do conquistador! Aposto que se você se deparasse com essa mulher diria apenas: “Ah! Que tesão!”

Não sei porquê, mas me lembrei dessa história outro dia. Bom, na verdade eu não decorei essa poesia, só me lembrava dela vagamente e me deu um trabalhão para achar e colocá-la aqui (um viva a São Google!).

Aí, eu fico pensando, por que é que um clérigo teria escrito uma poesia assim para uma mulher? Será ele ascendente do Bispo Lugo, do Paraguai? Não vem ao caso, mas aposto que na vida real ele dever ter olhado para a moça e falado igual o Luiz: “Ah! Que tesão!”

Pois é, queira meu professor ou não, nós homens não mudamos muito com o tempo, uma coisa é o que falamos entre nós, outra é o que é publicado.

Peguemos um exemplo mais recente: década de 60, dois caras tomam seu chope em frente a praia quando passa uma menina muito bonita.

- Ó, ó!
- Olha ela aí de novo!
- Gostosa paca! Que tesão, hein!
- Puta merda, olha só que bunda! Pra lá, pra cá…
- Num doce balanço a caminho do mar…
- Porra, Vininha, gostei dessa frase!
- Pega o violão aí, Tomzinho, acho que dá uma musiquinha... garçon, traz mais dois!

terça-feira, 28 de abril de 2009

Gripe suína

A tal da gripe toma conta do noticiário internacional, como não poderia deixar de ser. Manchetes alarmistas, discussões sobre epidemias, endemias ou pandemias pululam dos jornais, rádios e televisões.

Como a imprensa normalmente aumenta um pouco para vender mais, aliado ao desconhecimento que (ainda) se tem sobre a doença, imagino que o problema deve ser mais embaixo, mas não tanto quanto o que ouvi no rádio hoje. Peguei na BandNews FM o final da entrevista de um médico brasileiro, do qual infelizmente não ouvi o nome, especializado em vírus, bactérias e outros bichinhos. Sempre aparece um especialista nessa hora...

Ele tinha um tom blasé nas suas respostas e dizia que não via problema nenhum na gripe, que não tem nada a ver com a Gripe Espanhola que matou milhões de pessoas no início do século passado, porque nós somos descendentes das pessoas que sobreviveram àquela epidemia e, portanto, somos muito resistentes. Além disso, disse ele, a população à época era subnutrida e mais sujeita à contaminação. Disse ainda que essa é como uma gripe comum dessas que todo mundo já pegou.

Perguntado sobre os cuidados que se deveria tomar numa viagem ao exterior, ele respondeu:

- Vá bem alimentado e leve um antibiótico!

Só faltou ele acrescentar:

- Apersistiremossintomasummédicodeveráserconsultado.

Edison - Gripe suína

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Bafômetro

Será que esse aí passou no teste?

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Cuidado!

Crianças no banco dianteiro podem causar acidentes. Acidentes no banco traseiro podem causar crianças.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Cartunzando

Uma vez eu escrevi sobre um cartum de que eu gostava, mas não conseguia me lembrar onde o havia guardado para publicar aqui. Então descrevi o cartum com palavras e chamei o post de “Cartum escrito”.

Pois bem, recentemente descobri um site (www.stripgenerator.com), em que a gente pode desenhar cartuns com muita facilidade. Ou seja, basta ter a ideia, não precisa saber desenhar de verdade.

Assim, consegui reproduzir mais ou menos a citada tirinha, da qual ainda não me lembro o autor, infelizmente, pois é genial:

Edison - Tiozinho

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Pelé e Doval

Esta historinha foi contada pelo Pelé no programa Na Geral, da Rádio Bandeirantes.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Mustang, 45 anos

Mustang 4Estava eu nos EUA a serviço, quando o diretor da empresa me convidou para almoçar. Ao ver o Mustang no estacionamento minhas pernas fraquejaram. Pode parecer meio caipira de minha parte, mas andar em um Mustang é um sonho de infância. Quando ele me estendeu as chaves do carro, talvez sensibilizado pelo brilho em meu olhar, nem destilei as fórmulas de cerimônia que talvez fossem de praxe naquela hora. Quase arranquei as chaves da mão dele.

Mustang 3Consegui até esquecer que no dia anterior o São Paulo havia conquistado o tricampeonato da Libertadores, jogo este acompanhado a duras penas no quarto do hotel, com uma conexão de internet horrorosa.

Mustang 6Lançado em 17 de abril de 1964, o Mustang tinha uma previsão de venda de 100 mil unidades para seu primeiro ano de vida. Foram 422 mil. De lá pra cá foram vendidos mais 9 milhões. Eu dirigi um deles.

Uma curiosidade. Em 1966, um Mustang foi colocado no deck de observação do Empire State Building, em Nova Iorque. Para isso teve que ser desmontado em 4 partes que coubessem nos elevadores e depois remontado no local. Foi o primeiro e único carro a subir até lá.

Como o toque da pessoa amada que a gente sente na pele por muito tempo depois que ela se vai, ainda me sinto encaixado no banco do motorista daquele Mustang. Mais que um carro, um ícone.

Mustang 2Mustang 5

Parabéns, meu velho!

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Homens x Mulheres: e não é que é assim mesmo?


Duas mulheres se encontram na rua, uma delas saindo do cabeleireiro.

Mulher 1: Olá, querida! Você cortou o cabelo?

Mulher 2: Cortei, amor! Você nem imagina com quem. Com o Vagner, aquele mago da tesoura.

Mulher 1: Maaaaaaraaaavilhosooo! Ficou 10 anos mais moça. Essas mechas, que bárbaro! Vou mandar fazer igualzinho. São luzes?

Mulher 2: Não, menina, é uma técnica nova de clareamento que ele trouxe da Itália. Imagina que... blá... blá... blá

(meia hora depois...)

Mulher 1: Então, tá bom, querida. Corre pra casa, que teu namorado vai morrer de orgulho da mulher que tem.

Mulher 2: Ai, amiga, te adoro! Beijinhos!

Mulher 1 sai pensando: Como essa perua ficou ridícula! Será que ela não se enxerga? Não sei como aquele gato do namorado dela continua com ela. Se der mole eu agarro ele.

Mulher 2 sai pensando: Essa galinha deve estar morrendo de inveja do meu visual. Ainda quer fazer igual, vê se pode! Com aquele cabelo que parece arame. Nem com implante!


Dois homens se encontram na rua, um deles saindo do barbeiro:

Homem 1: Opa! E aí, seu filho da puta? Tava cortando o cabelo, né?

Homem 2: Não, bundão, deixei crescer as orelhas!

Homem 1: Que merda de corte, hein? Tu tá parecendo um viado. O cabeleireiro entendeu “pra bicha” ao invés de “capricha”, é?

Homem 2: É... mas tua mãe gostou...

Homem 1: Falou, então!... Ah, manda um beijo pra aquela gostosa da tua irmã, viu?!

Homem 2: Vai se fuder, seu corno! Até mais!

Homem 1 sai pensando: Esse cara... Gente finíssima!

Homem 2 sai pensando: Adoro esse cara... Muito gente boa!

Adaptado de um e-mail que recebi ontem

quarta-feira, 15 de abril de 2009

A Vírgula

Muito legal a campanha dos 100 anos da ABI (Associação Brasileira de Imprensa).

1. Vírgula pode ser uma pausa... ou não.
Não, espere.
Não espere.

2. Ela pode sumir com seu dinheiro.
23,4.
2,34.

3. Pode ser autoritária.
Aceito, obrigado.
Aceito obrigado.

4. Pode criar heróis.
Isso só, ele resolve.
Isso só ele resolve.

5. E vilões.
Esse, juiz, é corrupto.
Esse juiz é corrupto.

6. Ela pode ser a solução.
Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.

7. A vírgula muda uma opinião.
Não queremos saber.
Não, queremos saber.

Uma vírgula muda tudo.

ABI: 100 anos lutando para que ninguém mude uma vírgula da sua informação.

SE O HOMEM SOUBESSE O VALOR QUE TEM A MULHER ANDARIA DE QUATRO À SUA PROCURA.
- Se você for mulher, certamente colocou a vírgula depois de MULHER.
- Se você for homem, colocou a vírgula depois de TEM.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Que sorte!

Acabo de receber uma mensagem em meu celular informando que ganhei um prêmio! Um carro! Uma casa! R$ 60 mil por ano! E sem apostar nada!!!

Celular

Se há uma coisa que eu aprendi e procurei ensinar aos meus filhos, e espero que eles tenham aprendido, é: ninguém dá nada de graça. Há exceções, é claro, e muito louváveis, porém são exceções e como tais devem ser tratadas.

“A minha terra dá
banana e aipim,
meu trabalho é achar
quem descasque por mim.”

Como se vê pela música de Noel Rosa, nem ao mais vagabundo dos brasileiros a Natureza dá seus frutos sem trabalho algum. Aliás, mais recentemente, a humanidade está percebendo que se não cuidarmos da Natureza, daqui a pouco até ela pára de nos “dar” seus frutos.

Até o amor, quando é unilateral, tem prazo de validade.

“O amor é como a rosa no jardim,
a gente cuida, a gente molha,
a gente deixa o sol bater,
pra crescer, pra crescer!”

O amor requer troca, sim, e muita. Se isso ocorre entre pessoas que se amam, imagine entre desconhecidos. Posso parecer meio pessimista, e reconheço que sou mesmo, mas é preferível partir desse princípio e mudar de ideia depois a cair em golpes tolos que estão por aí a espreita.

domingo, 12 de abril de 2009

Dueling Banjos

Um delicioso clip do filme Deliverance (Amargo Pesadelo), de 1972.

E por falar em banjo, segue um clip com Steve Martin (ele toca mesmo) no show dos Muppets:

sábado, 11 de abril de 2009

É bom ser legal…

 

É bom ser legal

… a gente nunca sabe o dia de amanhã!

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Páscoa!

Meus votos de Boa Páscoa têm como inspiração uma coleção de ovos de Páscoa criada por chocolateiros espanhóis. Nessa época é sempre bom refletir e lembrar que a Páscoa não significa apenas a comer ovos de chocolate, tem também as colombas, o bacalhau…

090407094357_newovo1

Estes foram batizados de 'Cactus', 'Ninho' e 'Zig-zag'.

090407095835_ovos_pascoa3

O catalão Oriel Balaguer já foi eleito o melhor doceiro do mundo. Aqui, ele mistura vários tipos de chocolate na criação batizada de '1-2-3'.

090407091340_ovos_pascoa4

Enric Rovira, também de Barcelona, inventou este ano ovos de Páscoa inspirados no espaço, como os 'Atômicos'.

090407091349_ovos_pascoa6

O ovo 'Barcelona', de Balaguer, homenageia a cidade que tem uma tradição de ovos de Páscoa desde 1877. (Esse é o meu predileto)

090407094401_ovos_pascoa7

Os ovos impressionam não apenas pela aparência, como também pelo sabor. Alguns misturam ingredientes como wasabi, soja e açafrão. Aqui, 'Morango'.

090407091416_ovos_pascoa8

Oriol Balaguer é chamado de 'o arquiteto de chocolate' e neste ovo, 'Opera House', ele se inspira na Ópera de Sydney.

A propósito, cada ovo desses custa entre 80 e 100 Euros. Para ler a reportagem completa da BBC, clique aqui.

Boa Páscoa!

 

quinta-feira, 9 de abril de 2009

1 trilhão de dólares

Toda essa conversa de "pacote de estímulos" e "salvamentos financeiros"…

1 bilhão de dólares...

100 bilhões de dólares..

800 bilhões de dólares...

1 TRILHÃO de dólares...

O que isso significa?  

Bem, vamos começar com uma nota de US$ 100 dólares.

01 US$100

Atualmente, esta é a maior nota em circulação nos E.U.A. Muitas pessoas já viram uma delas, poucos possuem uma no bolso, e é garantia de fazer amigos onde quer que vá.

Um pacote de cem notas de  US$ 100 dólares é inferior a 1,5 centímetros de espessura e contém US$ 10.000 dólares. Encaixa facilmente no seu bolso e é mais do que suficiente para uma semana ou duas de diversão da pior (ou melhor) espécie.

02 US$ 10.000

Acredite ou não, esta pequena pilha abaixo é de US$ 1 milhão de dólares (100 pacotes de $ 10.000). Você poderia colocar esta quantia em um saco de papel de supermercado e passear por aí com ele facilmente.

03 US$ 1 milhão

 

Enquanto que a merreca de US$ 1 milhão parece bem inexpressiva, US$ 100 milhões é um pouco mais respeitável. Ele se encaixa perfeitamente em um palete de madeira padrão, veja:

04 US$ 100 milhões

 

E $ 1 bilhão de dólares... agora parece que estamos chegando a algum lugar...

05 US$ 1 bilhão

 

Em seguida, vamos olhar para um trilhão de dólares. Este número é o que temos ouvido nos últimos meses, nas notícias sobre o mercado financeiro e a crise mundial.

O que é um trilhão de dólares? Trata-se de um milhar de milhões. É o número 1 seguido por 12 zeros. Está pronto para isto? É bastante surpreendente.

Senhoras e senhores... Eu lhes apresento o tamanho de $ 1 trilhão de dólares...

 

06 US$ 1 trilhão

 

Recebido por e-mail e adaptado. Autor ignorado.

 

terça-feira, 7 de abril de 2009

Buddy Rich

Uma vez um caçador foi aprisionado por uma tribo de canibais e durante sua longa espera ouvia somente um som de tambores: tum-tum-tumtum-tum-tum-tumtum. Quando ele perguntava de quê se tratava, a resposta que ele ouvia era invariavelmente: “Depois que tambor para, muito mau!” Ele temia perguntar o que vinha depois. Mas aquilo foi minando a mente do caçador a tal ponto que ele começou a desejar ser comido o quanto antes. Num dia ele se atreveu a perguntar o que acontecia depois que o tambor parasse de tocar. A resposta foi: “Depois que solo de tambor para, começa contrabaixo”.

Pra quem não gosta de bateria, um solo deste instrumento só é menos chato que o solo de um contrabaixo. Como eu adoro esse instrumento, seguem alguns vídeos de um dos meus bateristas prediletos, Buddy Rich. De qubra, um "drum battle" com Gene Krupa!

Nascido em 1917 e morto em 1987, tocou com grandes músicos de jazz ao longo de sua carreira e nos anos 60 e 70 conduziu sua própria banda. Dono de um estilo inconfundível, agilíssimo com as baquetas, também era faixa preta de karatê. Dizem que certa vez ele quebrou o braço esquerdo durante uma luta, mas apresentou-se na mesma noite tocando apenas com o braço direito. Talvez seja lenda, pois não encontrei uma só referência a respeito, mas é mais divertido acreditar nisso.






P.S. Salvo raras exceções, solos de contrabaixo são meio chatos mesmo. 


segunda-feira, 6 de abril de 2009

A Executiva

Foi tudo muito rápido. A executiva sentiu uma pontada no peito, vacilou, cambaleou... Deu um gemido e apagou. Quando voltou a abrir os olhos, viu-se diante de um imenso Portal.

Ainda meio zonza, atravessou-o e viu uma miríade de pessoas.Todas vestindo cândidos camisolões e caminhando despreocupadas. Sem entender bem o que estava acontecendo, a executiva bem-sucedida abordou um dos passantes:

- Enfermeiro, eu preciso voltar urgente para o meu escritório, porque tenho um meeting importantíssimo. Aliás, acho que fui trazida para cá por engano, porque meu convênio médico é classe A, e isto aqui está me parecendo mais um pronto-socorro. Onde é que nós estamos?

- No céu.

- No céu?...

- É.

- Tipo assim... o céu, CÉU...! Aquele com querubins voando e coisas do gênero?

- Certamente. Aqui todos vivemos em estado de gozo permanente.

Apesar das óbvias evidências nenhuma poluição, todo mundo sorrindo, ninguém usando telefone celular, a executiva bem-sucedida custou um pouco a admitir que havia mesmo apitado na curva.

Tentou então o plano B: convencer o interlocutor, por meio das infalíveis técnicas avançadas de negociação, de que aquela situação era inaceitável. Porque, ponderou, dali a uma semana ela iria receber o bônus anual, além de estar fortemente cotada para assumir a posição de presidente do conselho de administração da empresa. E foi aí que o interlocutor sugeriu:

- Talvez seja melhor você conversar com Pedro, o síndico.

- É? E como é que eu marco uma audiência? Ele tem secretária?

- Não, não. Basta estalar os dedos e ele aparece.

- Assim? (...)

- Pois não?

A executiva bem-sucedida quase desaba da nuvem. À sua frente, imponente, segurando uma chave que mais parecia um martelo, estava o próprio Pedro.

Mas, a executiva havia feito um curso intensivo de approach para situações inesperadas e reagiu rapidinho:

- Bom dia. Muito prazer. Belas sandálias. Eu sou uma executiva bem-sucedida e...

- Executiva... Que palavra estranha. De que século você veio?

- Do 21. O distinto vai me dizer que não conhece o termo 'executiva'?

- Já ouvi falar. Mas não é do meu tempo.

Foi então que a executiva bem-sucedida teve um insight. A máxima autoridade ali no paraíso aparentava ser um zero à esquerda em modernas técnicas de gestão empresarial. Logo, com seu brilhante currículo tecnocrático, a executiva poderia rapidamente assumir uma posição hierárquica, por assim dizer, celestial ali na organização.

- Sabe, meu caro Pedro. Se você me permite, eu gostaria de lhe fazer uma proposta. Basta olhar para esse povo todo aí, só batendo papo e andando a toa, para perceber que aqui no Paraíso há enormes oportunidades para dar um upgrade na produtividade sistêmica.

- É mesmo?

- Pode acreditar, porque tenho PHD em reengenharia. Por exemplo, não vejo ninguém usando crachá. Como é que a gente sabe quem é quem aqui, e quem faz o quê?

- Ah, não sabemos.

- Entendeu o meu ponto? Sem controle, há dispersão. E dispersão gera desmotivação. Com o tempo isto aqui vai acabar virando uma anarquia. Mas nós dois podemos consertar tudo isso rapidinho implementando um simples programa de targets individuais e avaliação de performance.

- Que interessante...

- É claro que, antes de tudo, precisaríamos de uma hierarquização e um organograma funcional, nada que dinâmicas de grupo e avaliações de perfis psicológicos não consigam resolver.

- !!!...???...!!!...???...!!!

- Aí, contrataríamos uma consultoria especializada para nos ajudar a definir as estratégias operacionais e estabeleceríamos algumas metas factíveis de leverage, maximizando, dessa forma, o retorno do investimento do Grande Acionista... Ele existe, certo?

- Sobre todas as coisas.

- Ótimo. O passo seguinte seria partir para um downsizing progressivo, encontrar sinergias high-tech, redigir manuais de procedimento, definir o marketing mix e investir no desenvolvimento de produtos alternativos de alto valor agregado.. O mercado telestérico, por exemplo, me parece extremamente atrativo.

- Incrível!

- É óbvio que, para conseguir tudo isso, nós dois teremos que nomear um board de altíssimo nível. Com um pacote de remuneração atraente, é claro. Coisa assim de salário de seis dígitos e todos os fringe benefits e mordomias de praxe. Porque, agora falando de colega para colega, tenho certeza de que você vai concordar comigo, Pedro. O desafio que temos pela frente vai resultar em um Turnaround radical..

- Impressionante!

- Isso significa que podemos partir para a implementação?

- Não. Significa que você terá um futuro brilhante... se for trabalhar com o nosso concorrente. Porque você acaba de descrever, exatamente, como funciona o Inferno...

Recebido pela Internet (Max Gheringer?)

sábado, 4 de abril de 2009

Impressionante e comovente

Nem imagino como a semente foi parar lá em cima . As raízes foram crescendo e se agarrando à parede buscando umidade e suporte. Ao mesmo tempo o tronco se aprumou e as folhas buscaram a luz do sol. Eis que a natureza retoma o seu lugar.

2009-04-03 Árvore 02

2009-04-03 Árvore 03

Local: Av dos Estados. Acredite se quiser, mas esse céu azul é em São Paulo mesmo. Hoje.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

De explorado a explorador

“Eu não vejo possibilidade de o mundo continuar emprestando dinheiro para os países em crise”, afirmou Lula, ao classificar o FMI de “instituição falida do ponto de vista da credibilidade”.

Isso foi dito durante a campanha eleitoral de 1998.

É para esta instituição sem credibilidade que o Brasil vai emprestar dinheiro? O que vão pensar os povos oprimidos do novo e recém chegado opressor?

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Piu Piu faz 69!

 

Piupiu69

Criado em 1940 por Bob Clampett, Piu Piu faz parte da série Looney Tunes, produzida pela Warner Bros. Embora o pobre gato Frajola seja o meu personagem favorito, fica a homenagem ao aniversariante.

Related Posts with Thumbnails