quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Music In the Key of Oscar

frontBaixei na semana passada um DVD de Oscar Peterson, chamado “Music in the key of Oscar”. Anos  atrás, em tempos pré-internet e pré-DVD, consegui a duras penas esse filme em VHS (ah, agora já não parece tão feio meu recente ato pirata).

O filme gira em torno de um show feito em 1992 por Oscar e dois de seus primeiros parceiros de trio, o baixista Ray Brown e o guitarrista Herb Ellis. Costura entre os preparativos e o show propriamente dito, filmagens da década de 50 do mesmo trio e com outras formações com que Oscar tocou. Desfilam pelo DVD nomes como Ella Fitzgerald, Dizzi Gillespie, Nat King Cole e por aí vai.

E, melhor ainda que isso, traz casos deliciosos, muitas vezes tristes, de um capítulo importante da história do jazz e, por que não, do próprio século XX, nos EUA.

Conta Peterson que, enquanto ainda era um pianista da noite, conhecido apenas no Canadá, o produtor americano Norman Granz, que promoveu os primeiros festivais de jazz, como o JATP – Jazz At The Philarmonic, em que reunia alguns dos melhores músicos de jazz para tocar em grandes teatros, tomou um taxi em Montreal para ir ao aeroporto. No caminho, o rádio do carro tocava uma música que o encantou, levando-o a perguntar ao motorista que gravação era aquela. “É Oscar Peterson - repondeu ele - e não é gravação, é ao vivo”. “Então esquece o aeroporto, leve-me ao teatro!”, ordenou Granz. Nascia aí uma grande amizade e parceria.

As histórias tristes ficam por conta dos episódios de racismo que ele e seus companheiros negros de banda enfrentaram. Ainda no Canadá, havia um espectador que frequentava seus shows por várias noites seguidas. Descobriu-se que ele vinha de longe para ouvir a música. Ao término de um dos shows, Oscar levantou-se e foi cumprimentar o fã, estendendo-lhe a mão. O homem virou-se e disse: “adoro ouvi-lo tocar, mas não posso dar-lhe a mão”.

Nos hoteis onde o pessoal do JATP se hospedava, era comum imporem resistência  para receber aquele “bando de negros”. Esse preconceito, embora evidentemente sem o mesmo impacto, Herb Ellis também enfrentou, pois foi muito questionado em sua capacidade de interpretar jazz sendo ele um músico branco.

Oscar Peterson não compôs muito, e uma de suas músicas fala justamente sobre racismo. Foi composta no início dos anos 60, no auge dos discursos de Martin Luther King, e chama-se Hymn to Freedom.

2 comentários:

jmarietto@hotmail.com disse...

Onde vc baixou? =D

Edison Junior disse...

Olha, faz tempo, não me lembro, mas provavelmente foi no Torrent ou em outro site desse tipo.

Related Posts with Thumbnails