quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Cobras e lagartos


Quem mora na região sudeste do Brasil já está mais ou menos acostumado à ocorrência de enchentes nesta época do ano, principalmente na Cidade de São Paulo.

E desde antes da descoberta do Brasil. Os índios que por aqui viviam chamavam a terra de Piratininga, que na linguagem tupi quer dizer “terra do peixe seco”.

Pois é, peixe seco, porque após as chuvas e o consequente alagamento das várzeas do Tietê e seus afluentes, sobravam os peixes que não conseguiram voltar a tempo para o leito dos rios. Veja que notável: já houve peixes nesses rios!

As enchentes ocorrem porque o Tietê, que fica a menos de 100 km do mar, prefere correr lentamente para o outro lado, em direção ao interior do estado. De fato, deve ser um dos poucos rios do mundo que não correm para o mar.

O lento escoamento das águas aliado à impermeabilização do solo e chuvas mais fortes a cada ano, continuam causando seus estragos, apesar dos piscinões, aprofundamento da calha dos rios e outras medidas que vêm sendo tomadas pelos sucessivos governos que por aqui passaram.


Eu não sei se serve de consolo para quem teve sua casa invadida pelas águas e perdeu seus bens, mas leio no UOL que ontem houve uma enchente na Austrália e a grande preocupação das autoridades são as cobras e crocodilos que costumam seguir o leito dos rios e podem aparecer pelas cidades.

Um comentário:

Marília disse...

Enchente sem cobra e crocodilo já está de bom tamanho...

Related Posts with Thumbnails