quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Pernosticismos


Pernóstico é uma das palavras mais pernósticas que eu conheço. Por isso ela serve muito bem para designar pessoas e textos pernósticos, se é que me entendem.

Trabalhos acadêmicos são ótimos exemplos disso. É claro que um texto com essa finalidade é recheado de jargões e não deve nem pode ser escrito em linguagem coloquial, mas alguns autores abusam da paciência do leitor.

E não sou só eu quem pensa assim. Orientadores de trabalhos de pós-graduação têm prevenido seus orientandos desse mal. Quem enrola muito para escrever ou não sabe bem o que está dizendo, ou está a encher lingüiça ou se perdeu na argumentação.

Ontem mesmo estava ajudando a Paty a “traduzir” um trabalho de academiquês para português. O texto original tinha 14 páginas e conseguimos reduzi-la a uma sem perda substancial de conteúdo.

Um parágrafo em especial me fez dar muita risada. Dizia assim: “Ante a dificuldade de continuar o encaminhamento da argumentação sem um marco empírico de referência, a busca do detalhamento da particularidade acima mencionada vai referenciar-se no conhecimento do processo de (...) O que não equivale a renunciar aos objetivos intrinsecamente teóricos do presente texto”.

Ora, precisava de tudo isso para dizer “Por exemplo, (...)”?

2 comentários:

Marília disse...

Isso só pode ser sacanagem!

Waldomiro Lessa disse...

Doutor academico é assim mesmo, esbanja cultura !

Related Posts with Thumbnails