domingo, 20 de janeiro de 2008

A droga do dote é todo da gorda


O título deste post não faz qualquer sentido, mas está aí por ser um belo exemplo de palíndromo. Acho interessantes essas frases e descobri há tempos um site em que uns caras as colecionavam. O engraçado é que tem gente que passa um bom tempo de sua vida dedicada a inventá-las.

Muitos dos palíndromos são meio forçados, mas alguns são realmente bem bolados e coloco-os aqui, pois o referido site foi tirado do ar.

A base do teto desaba
A breve verba

A dama cai acamada
A diva em Argel alegra-me a vida
A droga do dote é todo da gorda
A grama é amarga

Ah! Na manha...
A Marta trama
Ame o poema
Anotaram a data da maratona

Argamassa magra
A tua pauta
E até o Papa poeta é!
É, tio, na Somália bailamos à noit
e
Laço bacana para panaca boçal
Luz azul
O ânimo domina-o

O azarado teme toda razão
O baronato bota no rabo
O cio na rapariga agirá paranóico
O pó de cocaína mata maníaco cedo, pô!
O treco certo
O trote do bode torto
Saíram o tio Sá e as oito Marias
Seco de raiva, coloco no colo caviar e doces
Soa como caos

Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos
Tucano na CUT
Ué, ó droga, gordo eu?
Zé de Lima, rua Laura mil e dez

2 comentários:

Marília disse...

Palindromo que aprendi do Tio Vicentinho:
Atai a gaiola, saloia gaiata.

Fernando J. Pimenta disse...

Isso é uma pérola!! Ou melhor, todo um conjunto de pérolas!!

Parabéns por ajuntá-las aqui.

Related Posts with Thumbnails